últimas notícias

Apreensões batem recorde no Porto de Santos em 2018

Até agosto, mais de 13,6 toneladas de drogas que tentavam entrar ou sair foram interceptadas; flagrantes ocorreram em 27 ações Da Reportagem De São Paulo

Operações da Polícia Federal, da Receita Federal, do Grupamento de Patrulha Naval da Marinha e de outros órgãos do governo apreenderam, até agosto, mais de 13,6 toneladas de drogas que tentavam entrar ou sair pelo Porto de Santos, no litoral sul de São Paulo, em 2018.

Os flagrantes ocorreram em 27 intervenções de fiscalização no local, segundo a Alfândega da Receita Federal do Brasil do Porto de Santos. A quantidade já é maior do que todas as apreensões de drogas feitas no porto no ano passado – em 2017 foram 11,5 toneladas em 24 operações.

As fiscalizações vêm apresentando melhores resultados desde 2014, quando apenas 435 quilos foram flagrados em três intervenções.

Piratas

Em ação na noite do último domingo, foram apreendidas 1.322 kg de cocaína. A droga estava dividida em 1.202 tabletes acondicionados em 41 bolsas ocultas em dois contêineres.

A carga, composta por amendoim em big bags de exportadores diferentes, foi adulterada após içamento a bordo na barra, a 15 quilômetros do Porto de Santos. As autoridades investigam a atuação do grupo armado que invadiu o cargueiro para realizar a ação.

A Alfândega da Receita Federal no Porto de Santos informou que os contêineres, embarcados em Zárate, na Argentina, tinham como destino final o porto de Antuérpia, na Bélgica.

O comandante do navio relatou aos policiais que, após a invasão dos piratas, encontrou as malas com cocaína divididas em bolsas pretas que estavam em contêineres. Até o fim da tarde desta segunda-feira ninguém havia sido preso.

Na hora do ataque, por volta das 2h de domingo, o cargueiro “Grande Francia” estava aguardando a liberação para acessar o cais. Ao menos quatro homens armados se aproximaram do navio em uma embarcação semelhante a uma lancha. A polícia suspeita que eles usaram uma corda com gancho para subir até o convés, onde renderam alguns funcionários.

Ao notar a invasão, o comandante determinou que toda a tripulação se trancasse no passadiço, a sala destinada ao controle da embarcação, e em outros compartimentos seguros. Pelo rádio, o comandante avisou as autoridades brasileiras. A chegada dos policiais foi atrasada pelas condições climáticas.

A principal suspeita é que os piratas tenham colocado a droga nos contêineres e fugido depois de duas horas pelas mesmas cordas que usaram para invadir o navio. Terminada a ação, policiais encontraram dois contêineres abertos e revirados. A droga estava em outros dois compartimentos de transporte, que estavam fechados.

O “Grande Francia” faz escalas rotineiras em portos da América Latina, Europa e África. Segundo o Porto de Santos, ele movimenta, cerca de 200 toneladas, entre embarques e desembarques por ano.

Tops da Gazeta