últimas notícias

Obras de ampliação de piscinas seguem abandonadas em Cubatão

A previsão era que a obra no Centro Esportivo Armando Cunha fosse concluída até o meio deste ano, segundo a prefeitura Por Diário do Litoral De Santos

Quase um ano e nenhuma mudança: essa é a situação da obra de ampliação das piscinas do Centro Esportivo Armando Cunha, no Jardim Casqueiro, em Cubatão. Em dezembro passado o Diário denunciou a situação de abandono do complexo. Na ocasião, a Prefeitura destacou que a previsão era que a obra fosse concluída até o meio deste ano. A situação se arrasta há quase cinco anos e é alvo de diversas reclamações de munícipes.

Na semana passada, um post nas redes sociais denunciava a situação a situação do Centro Esportivo. Na imagem, o abandono das piscinas dividia espaço com o mato alto. Dezenas de munícipes compartilharam lembranças do tempo em que o espaço sediava campeonatos de natação.

Após a postagem, a reportagem esteve no local e constatou que o serviço de capinação foi executado, mas a piscina ainda acumulava água parada por conta das chuvas dos últimos dias. O local permanece cercado por tapumes e sem qualquer vislumbre de obra.

O Centro está aberto e oferece atividades esportivas normalmente. A única área que está com as atividades suspensas ainda é a piscina.

O Diário acompanha desde dezembro de 2015 a situação. Na época da reportagem, os dados coletados mostraram que a obra estava paralisada desde fevereiro de 2014.

Prefeitura

Por nota, a Prefeitura de Cubatão informa que o Centro Esportivo Armando Cunha está incluído em uma ampla reformulação que incluirá reforma total do próprio público, recuperação da iluminação, reparos e instalação de aquecimento solar para as piscinas, entre outras melhorias. O projeto básico e detalhado sobre essa reforma deve estar concluído este ano, seguindo, assim, o processo licitatório. O modelo de reforma do Centro Esportivo do Jardim Casqueiro segue a mesmo adotado para recuperação de outros centros esportivos da cidade e é uma das prioridades da atual administração.

Em relação à água parada, a informação é de que houve um período de fortes chuvas, acumulando água na piscina. Essa retirada só é possível por meio de uma bomba especial e o procedimento já foi solicitado e deve acontecer em breve. A Chefia de Zoonoses, responsável pelo controle de endemias na cidade, informou que o Centro Esportivo como um todo é um imóvel especial e está cadastrado no Programa de Vetores da Zoonoses, recebendo a visita periódica dos agentes de endemias que não foram encontrados focos do mosquito da dengue no local.

Tops da Gazeta