últimas notícias

Santos recebe R$ 215 milhões para retomada de obras

Recursos serão usados na construção do Tancredo Neves 3 e para obras na entrada da Cidade Por Rafaella Martinez De Santos

A parte santista do Conjunto Habitacional Tancredo Neves III deverá, enfim, ser entregue nos próximos 18 meses. Ao menos essa é a estimativa do prefeito de Santos, Paulo Alexandre Barbosa, que anunciou a retomada do empreendimento durante cerimônia no Paço Municipal na manhã de ontem (26), ao lado do Ministro das Cidades, Alexandre Baldy. No mesmo evento, a Prefeitura assinou o contrato de financiamento com a Caixa para o programa ‘Saneamento para Todos’. Somados, os recursos garantem um aporte de mais de R$ 215 milhões de investimento na cidade.

No total, o empreendimento custará R$ 140 milhões, sendo os R$ 33,6 milhões restantes de parte do Estado, via programa Casa Paulista. Cada unidade será subsidiada em R$ 125 mil - R$ 95 mil federais e R$ 30 mil estaduais.

“Nessa reta final do ano temos a felicidade de celebrar essas contratações em Santos. São R$ 76.900 em saneamento básico, uma obra de saúde pública essencial para as cidades litorâneas como Santos. Além disso assinamos a execução do Conjunto Tancredo Neves III, um projeto humanitário que irá retirar famílias de áreas insalubres”, destaca o ministro das Cidades e futuro secretário futuro secretário estadual dos Transportes Metropolitanos, Alexandre Baldy.

A obra estava inclusa no PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) e que foi migrada para o ‘Minha Casa Minha Vida’ para viabilização dos recursos necessários. “São projetos sonhados e pensados pelos santistas há décadas que saíram do papel. O Tancredo Neves III é o maior conjunto habitacional já realizado pela Cohab nos últimos 30 anos, somando 1.120 unidades habitacionais que deverão abrigar 4.480 pessoas”, afirma o prefeito.

Paralisada desde meados de 2015, a construção do lado Santos do empreendimento não foi adiante após a Prefeitura perder o terreno por acúmulo de dívidas. Em 2017 foi solicitada ao Ministério das Cidades a migração do PAC para o Minha Casa Minha Vida. Com a troca de programa houve necessidade de nova licitação. A antiga construtora (Terracom/Mendes Júnior) já havia realizado a fundação e estaqueamento de alguns prédios, além da infraestrutura externa de água e esgoto. O projeto estrutural dos imóveis foi mantido sem alterações.

O recurso foi aportado pelo Governo Federal por intermédio do deputado Beto Mansur e terá 28 prédios de cinco pavimentos (térreo mais quatro andares), com 40 unidades cada. O empreendimento, construído em um terreno de 35 mil m² pertence à Cohab na Cidade Náutica.

Recursos para obras na entrada de Santos

Além do valor aportado para o programa habitacional, o Governo Federal destinou também R$ 76.900 para obras de macrodrenagem da Zona Noroeste, que incluem a construção de estações elevatórias com comportas, além de galerias e canais de deságue.

“Será uma complementação ao projeto Nova Entrada da Cidade, que construirá quatro estações elevatórias para garantir bombeamento de água quando tiver chuva forte e maré alta, evitando alagamentos na entrada e em todo o entorno. A Avenida Beira Rio, que será a primeira estação construída, é um projeto aguardado há muito tempo e que estamos tirando do papel com boas parcerias e uma soma de recursos”, finaliza.

Tops da Gazeta