últimas notícias

Suspeito de abusar de menino no Sesc Santos tem prisão decretada

Segundo a versão do acusado ele não estava tomando banho com o garoto, de 12 anos. Por Diário do Litoral De Santos

*Por Jeferson Marques

O homem flagrado no banheiro do Sesc Santos abusando sexualmente de um garoto de 12 anos na última quarta-feira (31), teve a sua prisão preventiva decretada, segundo informações da Polícia Civil. Ele foi encaminado ao Centro de Detenção Provisória (CDP) de Praia Grande neste sábado (02) e nega a acusação.

O caso

Segundo relato do pai do menino ele estava junto com o filho na piscina no clube quando o garoto decidiu ir ao banheiro. Percebendo a demora do filho em retornar, o pai foi procurá-lo nos sanitários e, não o encontrando, estendeu a busca até os chuveiros, chamando o nome do filho - que não respondeu -.

Ao notar que os pertences do menino estavam no local, ele decidiu bater em todas as portas. Foi quando o suspeito gritou que não havia ninguém com aquele nome no local. O pai, então, olhou por baixo da porta do box e notou que havia mais de uma pessoa ali. Ele insistiu para que o homem abrisse a porta e encontrou ele e seu filho sem roupas. 

A versão do garoto

O menino disse ao pai que havia esquecido a carteira do clube no box, que já estava ocupado pelo suspeito. Ao chegar ao local para buscá-la, então, o homem o teria puxado para dentro, tirou a sunga e pediu para o garoto fazer sexo oral. Quando ouviu que o pai chamava pelo filho, o homem teria tapado a boca do menino para que eles não fossem descobertos. 

A versão do suspeito

Em depoimento à polícia o assistente técnico de 52 anos disse que estava tomando banho quando o garoto bateu na porta dizendo que havia esquecido a carteira do clube ali. Foi então que ele permitiu que o menino entrasse para procurar, e nesse momento seu pai apareceu, chamando pelo seu nome, e com medo da reação do pai o garoto teria inventado a história do abuso.

O Sesc Santos informou que o suspeito foi descredenciado de todas as unidades do clube, não podendo frequentar mais nenhuma unidade do SescSP. Além disso, a nota diz que o clube prestou assistência à vítima e seus familiares, acompanhando-os até a delegacia e ainda à disposição de todos. 

"O SescSP permanece à disposição da Justiça até que o caso seja esclarecido, e informa que o nível de segurança e patrulhamento é alto em todas suas unidades, mantendo funcionários nos vestiários, seguranças localizados pela unidade e a identificação de menores de idade para o acesso às suas instalações".

Tops da Gazeta