últimas notícias

Garçom envolvido em morte por causa de R$ 7 é condenado, mas seguirá em liberdade

Ele era acusado de ter entregado a faca que foi utilizada no assassinato de um rapaz dentro de um restaurante em Guarujá no ano de 2012 Por Diário do Litoral De Santos

O garçom que era acusado de ter entregado a faca que foi utilizada no assassinato de um rapaz dentro de um restaurante em Guarujá após uma briga por causa de uma dívida de R$ 7 foi condenado a 13 anos de prisão. Ele respondeu ao processo pela participação no homicídio duplamente qualificado. Apesar disso, Robinson de Jesus Lima, de 50 anos, deverá recorrer da decisão em liberdade devido à sentença que lhe foi proferida.

A decisão do juiz foi decretada durante a noite desta quarta-feira (28) no Fórum de Guarujá. Com isso, Robinson se torna a terceira pessoa condenada pelo homicídio do estudante Mário dos Santos Sampaio, de 22 anos. Antes dele, José Adão Pereira Passos, de 61 anos, e o filho dele, Diego Souza Passos, de 29, também já tinham sido condenados. Ambos eram os donos do restaurante onde o crime ocorreu.

Apesar da condenação de Robinson, a promotoria informou o Diário do Litoral que vai recorrer para que ocorra o aumento da pena e para que o garçom seja preso o mais rapidamente possível.

Nenhum membro da família prestou depoimento durante o julgamento e apenas testemunhas que estavam no restaurante no dia do crime compareceram no Fórum de Guarujá. A previsão inicial seria que o julgamento terminasse até esta quinta-feira (29), com possibilidade de se estender até sexta-feira (30), mas o juiz decidiu encerrar o processo todo durante um dia.

CRIME

Mário dos Santos Sampaio foi assassinado no dia 31 de dezembro de 2012. Original de Campinas, ele passava as férias em Guarujá com a namorada e alguns amigos e deveriam passar o Réveillon no litoral paulista. Durante o começo da tarde, o grupo decidiu almoçar em um restaurante chamado Casa Grande que ficava no bairro Enseada.

O desentendimento que levou ao homicídio ocorreu no momento em que Mário e seus colegas decidiram pagar a conta. À época, as autoridades afirmaram que o estudante não quis pagar a conta, que teria ficado no valor de R$ 19,99, porque, segundo ele, o valor divulgado pelo estabelecimento comercial era de R$ 12,99.

Na sequência, o dono do restaurante, identificado como José Adão Pereira Passos, de 61 anos, discutiu com Mário e teria dito que o aguardaria do lado de fora do imóvel para brigar. Percebendo que a situação estava se agravando, a vítima acionou a Polícia Militar, mas foi surpreendida pela ação de Diego Souza Passos, de 29 anos, que é filho do dono e de outros funcionários que decidiram tirar o cliente à força do local.

Já do lado de fora, José Adão pegou uma faca que foi trazida pelo garçom Robinson de Jesus Lima e golpeou Mário nas costas ao menos três vezes. Os amigos da vítima acionaram o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), mas o jovem morreu poucos minutos após o ataque ter ocorrido.

Acusados pelo crime, pai e filho foram presos logo na primeira semana de 2013 e foram condenados em outubro de 2015. José Adão pegou uma pena de 20 anos de prisão e Diego foi condenado a 17 anos em regime fechado. O advogado do garçom Robinson de Jesus conseguiu separá-lo do processo que julgou pai e filho e devido a isso, ele permaneceu em liberdade até ser submetido a júri popular em agosto de 2019, quando foi condenado a 13 anos de prisão.


*Por LG Rodrigues, do Diário do Litoral

Tops da Gazeta