últimas notícias

Com filas e festa, venda de maconha recreativa começa no Canadá

Segundo levantamento da agência de notícias Associated Press, 111 locais físicos para a compra de maconha abriram às portas nesta quarta (17) Por Folhapress De São Paulo

Sob uma temperatura abaixo dos 10ºC, Ian Power, esperou desde às 20h30 de terça (16) em uma fila na cidade de St. John até os relógios marcarem meia-noite. No primeiro minuto desta quarta (17), ele entrou na loja e se tornou a primeira pessoa a comprar legalmente maconha para uso recreativo no Canadá.

Devido ao fuso horário (uma hora à frente do horário de Brasília), a província de Terra Nova e Labrador, da qual St. John é a capital, foi a primeira a começar a vender a substância, mas o cenário se repetiu por todo o país conforme a nova lei que permite a venda da droga entrou em vigor.

Em Toronto, maior cidade do país, houve contagem regressiva com direito a uma escultura que simulava uma planta gigante, enquanto centenas de pessoas se reuniram em filas em Montreal à espera da liberação na cidade, que só ocorreu às 10h locais (11h de Brasília).

"Creio que é um dos melhores momentos da minha vida. Tenho lágrimas nos meus olhos, nunca mais becos escuros", Power disse ao jornal canadense The Globe and the Mail - ele avisou que pretende enquadrar a compra.

Na capital Ottawa, autoridades do governo participaram de uma entrevista coletiva na qual o ministro de Segurança Pública, Ralph Goodale, anunciou que o governo vai propor uma nova medida para facilitar o perdão judicial a pessoas condenadas por portarem até 30g de maconha, quantidade autorizada para o uso pessoal.

Apesar das comemorações dos usuários, a maior parte dos canadenses ainda terá que esperar para poder fumar legalmente a droga. O governo canadense repassou às províncias a responsabilidade de regular a venda e os locais de uso e, com isso, ainda há poucas lojas no país.

"Vai haver muita celebração durante o dia, mas quase tudo com cânabis ilegal", disse Brad Poulos, pesquisador do mercado de maconha na Universidade Ryerson, em Toronto. "Os usuários recreativos no Canadá vão continuar a usar seus fornecedores até o sistema estiver pronto.

Segundo levantamento da agência de notícias Associated Press, 111 locais físicos para a compra de maconha abriram às portas nesta quarta, nenhum deles na maior província do país, Ontário, onde fica Toronto e que abriga 13 milhões dos 35 milhões de habitantes do Canadá.

As lojas na região só vão poder entrar em funcionamento a partir de abril, mas os moradores podem comprar a maconha pela internet até lá.

Vancouver, terceira maior região metropolitana do Canadá, também não tem lojas físicas por enquanto - a mais próxima fica a 350 km.

"O dia 17 de outubro não será o dia mais elegante, mas o importante da mensagem não é que as coisas funcionem no primeiro dia, é que temos um primeiro dia", disse Bruce Linton, CEO da Canopy Growth, principal empresa de produção de maconha do país.

ENTENDA O QUE PODE E NÃO PODE NO PAÍS

30 gramas
É a quantidade possível de maconha desidratada ou equivalente para ter em lugares públicos ou compartilhar com amigos.

18 anos
É a idade mínima para consumo; em algumas províncias é 19 anos, como Ontário.

Por correio
Para residentes, é possível comprar online e receber em casa. Verificação de idade será feita na hora da compra e da entrega.

Quatro plantas
Limite por residência para uso pessoal. Mas em Manitoba e Québec, fica proibido ter plantas. Na Colúmbia Britânica não podem estar à vista do público (multa de 5.000 dólares canadenses - R$ 14,4 mil - e até 3 meses de prisão).

Cookies e outras comidas
Pode fazer produtos de maconha em casa apenas para uso pessoal. Novas leis vão regulamentar venda de comestíveis daqui um ano.

Direção
É proibido dirigir sob influência da droga. As leis variam bastante por província e vão de 18 meses de cadeia (Manitoba) a multas de 200 dólares (R$ 575) na Colúmbia Britânica a 1000 dólares (R$ 2.880) em Alberta e Quebec.

Menores
Empresas ficam proibidas de promover produtos para menores, com multas que chegam a 5 milhões de dólares (R$ 14,4 milhões) e três anos de prisão. Quem der ou vender a menores, pode pegar até 14 anos de prisão.

Fronteira
Carregar a droga para fora do Canadá pode render até 14 anos de prisão.

Tops da Gazeta