últimas notícias

Acervo

Lucro de pecuaristas cresceu com incentivo à exportação

A habilitação contínua por parte do Governo Federal de novos frigoríficos aptos a exportar carne bovina nos últimos meses associada à alta do dólar transformaram novembro em um mês mágico para os pecuaristas brasileiros. Em novembro, foram enviadas ao exterior 155,58 mil toneladas de carne bovina, volume 19,15% acima do montante exportado em novembro/18, segundo a Secretaria de Comércio Exterior do Ministério da Economia. Esse cenário elevou a receita do setor ao recorde de R$ 3,14 bilhões exportados, alta de 60% na comparação com novembro do ano passado.

Porém, como antecipou esta coluna há 15 dias, condições climáticas mais favoráveis após o retorno das chuvas no Interior do Brasil e a pressão do consumidor abalado com a drástica redução no poder de compra desde 2015, têm colocado em xeque essa farra do boi. Em novembro, a arroba chegou a ser cotada a R$ 230 no Interior de SP. Segundo a Scot Consultoria, a arroba do boi gordo registrou recuo de 2,1% no Estado ao longo da semana. Esse cenário de queda está sendo motivado pelos frigoríficos que têm ofertado valores menores aos pecuaristas diante da dificuldade em escoar a carne no varejo.

Depois do açougue...
Se a carne bovina dá sinais de que o pior já passou, a preocupação nos próximos meses é com o trigo. O Brasil só produz metade do trigo que consome. Os outros 50% são importados. Logo, com dólar alto...

...reclamações agora com...
Analistas apontam que, mesmo com a safra brasileira 2019/20 nos armazéns, os preços não recuaram. Some-se a este cenário a quebra na safra do Paraná e o prejuízo à qualidade de quase um quarto do cereal colhido no Rio Grande do Sul, que deverá se prestar a funções menos nobres, como ração animal.

...o português da padaria.
Como o trigo russo está proibido de entrar nos portos abaixo do Rio de Janeiro por questões ideológicas e acordos comerciais, a alternativa para os moinhos do Sul e do Sudeste será o cereal da Argentina, do Uruguai e do Paraguai.

Vem aí dois...
A Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) desenvolveu duas novas variedades de pêssego. A BRS Serenata tem aparência atrativa: é predominantemente vermelha, tem formato arredondado, polpa branca, sabor doce e baixa acidez. Já a BRS Jaspe apresenta frutos maiores do que a média, com potencial para uso na indústria.

...novos pêssegos.
As duas novas variedades foram apresentadas durante a abertura oficial da colheita da fruta, nesta semana, em Pelotas, no Rio Grande do Sul. A cidade é a capital brasileira do pêssego. Pelos próximos 15 dias, os restaurantes de Pelotas vão incluir receitas com a fruta em seus cardápios.

Filosofia do campo:
"Todos esses que aí estão atravancando o meu caminho... eles passarão. Eu, passarinho!" Mário Quintana (1906-1994), poeta e jornalista gaúcho, in Poeminha do Contra.

Tops da Gazeta