últimas notícias

O colonialismo na Amazônia

Durante a abertura do Sínodo da Amazônia, no último domingo (6) em Roma, o Papa Francisco lembrou das mazelas que vem acometendo a maior floresta tropical do mundo e os povos tradicionais que ali vivem. Para o líder da Igreja Católica, o fogo de Deus atrai e congrega em unidade, alimenta-se com a partilha, não com os lucros, no que difere do fogo ateado por interesses, como o que vem devastando a região.

"Deus nos preserve da ganância dos novos colonialismos", afirmou o pontífice para os representantes de povos indígenas e 185 padres sinodais presentes. Deste total, 58 religiosos estão representando o Brasil, país que está no foco das preocupações que motivaram o encontro. Entre eles, o bispo emérito do Xingu, dom Erwin Krautler, que vive na floresta desde 1965, revelou que o governo Bolsonaro desconhece a região e que suas propostas são inconstitucionais.

Também em Roma, o presidente da Confederação Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), Dom Walmor Oliveira de Azevedo, destacou a importância da presença de um número tão expressivo de religiosos brasileiros. Dom Walmor lembrou que o encontro está alicerçado em quatro bases: evangélica, cultural, social e ecológica. São justamente os aspectos sociais e ecológicos deste processo que vem gerando polêmica com o governo brasileiro, que vê na exploração do território amazônico uma forma de contemplar suas bases eleitorais, políticas e econômicas.

Por este motivo, Bolsonaro e seus aliados não tem poupado esforços para atacar o Sínodo Amazônico. Tanto o presidente brasileiro como seu vice, Hamilton Mourão, o guru bolsonarista Olavo de Carvalho e até o estrategista da campanha de Donald Trump, Steve Bannon, já se posicionaram publicamente contrários ao Papa Francisco. Os ultra-direitistas temem que os olhos do mundo estejam voltados para a Amazônia, porque sabem que não suportariam a pressão internacional sobre uma política tão suja, que destrói a natureza e violenta povos tradicionais, que assim como todas as formas de vida, são algumas das maiores criações divinas.

Tops da Gazeta