últimas notícias
Em destaque
Por Pedro Nastri - Colaborador
[email protected]
-
-

Procon X Enel

Procon X Enel. O Procon reuniu-se com a distribuidora de energia elétrica Enel e com o Ministério Público de São Paulo para tratar das contas de energia questionadas por consumidores. Várias pessoas reclamaram no Procon de terem recebido faturas em valores muito acima do esperado - de 1 de junho ao dia 7 de julho, foram registradas mais de 21 mil queixas contra a empresa. A concessionária concordou em rever as contas dos consumidores que registraram reclamação no Procon e que já estão sendo analisadas por uma força-tarefa formada por especialistas da instituição. Mas não concordou em fazer o parcelamento automático das contas de todos os seus clientes, apenas dos que reclamaram.

Reajuste na energia elétrica. Diante da informação da Enel de que não abrirá mão de aplicar um reajuste nos valores das contas, o Procon encaminhou reclamação ao Ministério Público. De acordo com promotor de Justiça e defesa do consumidor, o órgão irá se pronunciar até o final do mês. O consumidor que tiver dúvidas ou problemas referentes as suas contas de energia elétrica e não conseguiu um retorno satisfatório da empresa, pode procurar o Procon, que disponibiliza canais de atendimentos à distância, no site www.procon.sp.gov.br.

PDO. O grupo Parlamentares em Defesa do Orçamento - PDO entrou com uma representação criminal no Ministério Público de São Paulo para que sejam apurados os atos de difamação e calúnia praticados por João Doria e Bruno Covas, que acusaram os deputados Leticia Aguiar, Sargento Nery, Coronel Telhada, Márcio Nakashima e Adriana Borgo de invadirem o Hospital de Campanha do Anhembi, além de agressão a funcionários e pacientes. Em 4 de junho devidamente paramentados, e acompanhados por uma equipe de saúde, o grupo visitou as alas do HCMCamp, gravou imagens, com autorização, mantendo total respeito e cordialidade aos profissionais e, principalmente preservando a imagem e a condição de saúde dos pacientes internados.

Teste sorológico. A cidade de São Paulo tem 1,2 milhão de infectados pelo novo coronavírus, segundo dados do inquérito sorológico fase 1 divulgado pela prefeitura. O prefeito Bruno Covas anunciou que vai ampliar o número de fases do inquérito de 5 para 9. A fase zero do inquérito havia indicado que 1.160.000 moradores da capital já tinham anticorpos para a SARS-Cov-2, numa taxa de prevalência de 9,5%. Agora, na etapa seguinte, a prefeitura estima que a taxa tenha chegado a 9,8%, com a ampliação do número de domicílios de 3,3 milhões para mais de 5,3 milhões. A margem de erro é 2,1%. A proporção de infecção assintomática foi de 32,8%. 

Comentários

Tops da Gazeta