últimas notícias

Acervo

Nunca é tarde para nadar

Nadar é um exercício sem contraindicação; crianças, adultos e idosos se beneficiam muito com a prática, que faz bem ao corpo todo Por Vanessa Zampronho De São Paulo

A sensação de entrar na água e sentir o corpo mais leve é mágica. Embora caminhemos com mais dificuldade, por conta da resistência da água, o corpo fica mais leve, e nos sentimos até com mais disposição. E é essa característica que faz da natação um exercício e tanto: porque mexe com praticamente todo o corpo.

"Quando você nada, independentemente do estilo, existe um trabalho muito grande das pernas, panturrilhas, tórax, peitoral, peito, costas, e o trabalho de ombro", explica o professor de natação Charles Majima, da Escola de Natação e Hidroginástica Sport Fitta, em Interlagos. (veja arte Estilos de natação)

A lista de benefícios é extensa e varia de idade para idade. Segundo Majima, as crianças levam a vantagem de aprender com mais facilidade. As aulas costumam ser mais lúdicas, com brincadeiras e músicas; já os adolescentes colocam mais a mão na massa - ou o corpo na água. Os adultos se beneficiam também, até por um motivo bastante curioso.

"A região do trapézio [músculo que começa na nuca e vai até os ombros] acumula muita tensão. Para a natação, isso é ruim, porque você precisa estar leve. Quem sabe nadar, faz isso de um jeito solto, que desliza na água. Quem não sabe, nada de um jeito que parece que faz uma força imensa para sair do lugar. Isso é tensão, que atrapalha esse movimento e faz a pessoa 'arrastar' a água", conta.

E não tem idade para aprender a nadar, não. Idosos são um grupo que se beneficia muito com a natação, que não fica somente na parte física. Os vovôs e vovós, até pela experiência de vida, tendem a ser mais cautelosos a novos desafios - e têm mais medos. "É muito mais a parte psicológica do que a parte física, porque eles têm mais medo dos desafios e levam mais tempo para se soltar na água até se sentir mais confortável".

Já a parte física agradece. Embora os exercícios não recuperem massa muscular e óssea dos idosos, eles evitam uma perda ainda maior. Claro que cada caso é um caso. Idosos debilitados, que têm dificuldade para caminhar, se beneficiam muito mais com a hidroginástica, que usa a resistência da água, aliada ao baixo impacto, para reforçar a musculatura dos mais experientes.

"Tive casos de idosos que chegaram andando com muletas, e depois de quatro meses, já não as usava mais", relata Majima. E não é só isso. Como a maior parte dos alunos faz parte da turma com mais de 60 anos, a convivência é outro benefício da prática. "Como eles estão vivendo a mesma fase, eles conversam sobre as plantinhas que têm em casa, de receitas, falam dos netos, dos filhos, cria um vínculo entre eles", completa.

 Saúde Natação 1

 Saúde Natação 2

Tops da Gazeta