últimas notícias
"Isso é muito importante porque vai garantir esse conforto a mais aos trabalhadores que estão prestando um grande serviço ao nosso Pais", disse ministro da Infraestrutura, Tarcísio Freitas
Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil

Caminhoneiros vão ter prioridade em vacinação contra a gripe

O ministro da Infraestrutura falou da campanha do Sest/Senat com 130 postos de atendimento a caminhoneiros em rodovias de todo o País com orientações

Caminhoneiros e portuários serão o próximo foco da campanha de vacinação contra a gripe em todo o País, assim que a agenda para idosos e profissionais de saúde for encerrada, conforme anunciou nesta terça-feira (31) o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Freitas, durante coletiva de imprensa com ministros do Estado.

O ministro falou da campanha do Serviço Social do Transporte/Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte (Sest/Senat) com 130 postos de atendimento a caminhoneiros em rodovias de todo o País com orientações e a entrega de produtos de higiene e alimentação aos profissionais e disse que a vacinação dos caminhoneiros contará com a mesma logística.

"Os profissionais de transporte terão esse suporte. Eles entram na prioridade assim que acabar a vacinação dos idosos e dos profissionais de saúde. Isso é muito importante porque vai garantir esse conforto a mais aos trabalhadores que estão prestando um grande serviço ao nosso País. É o nosso dever garantir essas condições", afirmou Tarcísio.

O Ministério da Infraestrutura também está auxiliando o Ministério da Saúde na logística de distribuição dos primeiros 500 mil kits de teste rápido para o combate ao novo coronavírus. O lote faz parte de um montante de 5 milhões de itens adquiridos e doados pela Vale e chegou ao Brasil nesta segunda no Aeroporto de Guarulhos. O material já tem registro na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e foi liberado para o centro de logística do Ministério da Saúde em São Paulo.

CAPITAL

Na cidade de São Paulo, a Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe ocorre desde o dia 23 de março nas 468 Unidades Básicas de Saúde (UBSs). Nesta primeira etapa, a ação é exclusiva para idosos e profissionais da saúde.

A vacinação também ocorre em 450 escolas municipais da Capital, e conta com a participação de mais de 600 instituições (como associações de moradores, casas de repouso, igrejas e templos, escolas de samba, entre outras), para levar a vacina para pessoas acamadas. A prefeitura afirma que oferece 264 vans para que as equipes de saúde cheguem a esse público.

A vacina contra a gripe não tem eficácia contra o coronavírus. Porém, de acordo com o Ministério da Saúde, será importante para auxiliar profissionais de saúde na exclusão do diagnóstico para o Covid-19, já que os sintomas são parecidos. Também evitará que mais pessoas procurem o sistema de saúde.

Todo ponto de vacinação terá um médico para avaliar as pessoas. As ações contam com a participação de 20 mil funcionários das equipes de saúde, além de dois mil estagiários em saúde da prefeitura. Em meio à pandemia de coronavírus, a gestão municipal afirmou que projetou a campanha para evitar aglomerações.

A primeira etapa da Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe mira os idosos por serem um dos grupos vulneráveis ao coronavírus. As próximas fases da campanha se estendem para gestantes, professores, portadores de doenças crônicas, crianças a partir dos 6 meses até os 6 anos de idade.

O dia "D" de mobilização nacional de vacinação contra a gripe será no dia 9 de maio.

Tops da Gazeta