últimas notícias

Eleitor pode treinar a votação em simulador on-line no site do TRE

Nas eleições gerais deste ano, o eleitor deve escolher seis candidatos para cinco cargos em disputa e a simulação, que é rápida, simples e didática, tem o objetivo de ajudar o cidadão a não se confundir Da Reportagem De São Paulo

O eleitor poderá treinar a votação no Simulador de Votação na Urna Eletrônica, para não correr o risco de cometer erros na hora de votar no dia 7 de outubro. Nas eleições gerais deste ano, o eleitor deve escolher seis candidatos para cinco cargos em disputa e a simulação, que é rápida, simples e didática, tem o objetivo de ajudar o cidadão a não se confundir.

O sistema está disponível no site do Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo (TRE-SP). Antes de iniciar a simulação, o cidadão deve escolher se a votação será para o primeiro ou para o segundo turno. Caso o usuário erre durante o procedimento, o programa apresentará uma mensagem explicativa e a tela será bloqueada até que ele clique na mensagem apresentada. O software apresenta uma lista de candidatos e partidos fictícios para cada cargo.

O sistema foi desenvolvido pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e está disponível no site do TRE (Tribunal Regional Eleitoral).

Ordem de votação

O eleitor deve ficar atento à ordem de votação para o pleito, que é a seguinte: deputado estadual, deputado federal, senador, governador e presidente.

Neste ano, a renovação do Senado será de dois terços, então o cidadão terá que escolher dois senadores. A população elege um terço e dois terços, alternadamente, para a Casa. Cada estado da Federação tem três senadores.

Denúncias de infrações

Já está disponível para uso gratuito em smartphones e tablets a nova verão do Pardal. O aplicativo - lançado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) - é destinado a receber denúncias de infrações cometidas por políticos durante o período eleitoral.

Segundo o TSE, a meta é colocar os cidadãos como fiscais do processo eleitoral e “importantes atores no combate à corrupção eleitoral”.

Pela ferramenta, é possível fazer denúncias referentes à propaganda eleitoral nas ruas, compra de votos, uso da máquina pública, crimes eleitorais e doações e gastos eleitorais.

De acordo com o TSE, para fazer a denúncia pelo Pardal, o cidadão deverá informar obrigatoriamente o nome e o CPF (Cadastro de Pessoa Física), além de elementos que indiquem a existência do fato, como vídeos, fotos ou áudios.

A autoridade responsável por apurar a notícia de infração poderá manter em sigilo as informações do denunciante, a fim de garantir sua segurança.

Essa não é a primeira vez que a ferramenta é utilizada em âmbito nacional.

A nova versão, disponível para aparelhos que utilizam os sistemas Ios e Android, apresenta as mesmas funcionalidades da anterior (2016), com algumas melhorias. Uma delas é a possibilidade de registrar denúncias também contra partidos e coligações. Outra é o sistema de triagem das denúncias que também foi melhorado para facilitar o trabalho de apuração por parte dos Tribunais Regionais Eleitorais (TREs) e do Ministério Público Eleitoral (MPE).


*Com informações da Agência Brasil

Tops da Gazeta