Edição de Hoje capa
Edições Anteriores
 

O mais lembrado dos 1.279 gols de Pelé é, provavelmente, o milésimo, que ocorreu em vitória por 2 a 1 do Santos sobre o Vasco - para desespero do goleiro argentino Andrada, que socava o gramado do Maracanã, com raiva, enquanto o camisa 10 santista celebrava a marca.

O feito completou 50 anos nesta terça-feira (19) e ganhou uma homenagem organizada pelo Museu do Futebol, nas dependências do estádio do Pacaembu, em São Paulo, que ficará em cartaz até 1º de dezembro.

Ocupando a sala Osmar Santos, a principal atração da mostra intitulada "Pelé Mil Gols" são cem charges de JC Lobo, cartunista de Santos (SP), falecido em 2016, que acompanhou a carreira do ex-jogador. Ele publicou seus trabalhos em veículos como A Tribuna, Cidade de Santos e Gazeta Esportiva.

Os visitantes também podem ver uma reprodução da camisa 10 do Santos que o ex-atleta usava na ocasião do milésimo gol, feita com o mesmo material e peso da camisa original.

Entre as obras em vídeo, haverá a exibição da série documental "Memórias do Milésimo", veiculada pela ESPN Brasil, e uma produção inédita que mostra a cobertura jornalística de diferentes cidades nas quais Pelé jogou após seu 999º tento, refazendo a trajetória até o gol mil.

Ainda por ocasião da exposição, no dia da inauguração, às 19h, o local receberá o lançamento de uma tiragem comemorativa do livro "As Joias do Rei Pelé", do jornalista Celso de Campos Jr. Na sequência, haverá sessão de autógrafos e bate-papo com o autor e o jornalista Alberto Helena Jr.

As visitas educativas ao Museu do Futebol e ao estádio do Pacaembu que ocorrem nos dias 23, 24 e 30/11 e 1º/12 terão ainda um roteiro temático dedicado à presença de Pelé no acervo.

SERVIÇO

Onde: Estádio do Pacaembu - Museu do Futebol - Pça. Charles Miller, s/ nº, Pacaembu, região central, São Paulo.

Telefone: (11) 3664-3848

Quando: terça a domingo, das 9h às 17h.

Quanto: R$ 20.

Publicado em Capital

O prefeito Bruno Covas (PSDB) entregou na manhã desta terça-feira (19) os 15 ônibus elétricos que circularão na linha 6030/10 Unisa-Campus1/Terminal Santo Amaro, na zona sul, da empresa Transwolff Transportes e Turismo. Segundo a prefeitura, a cidade passa a ter agora a maior frota de ônibus totalmente elétricos do País.

São três ônibus modelo Marcopolo (com 70 vagas, sendo 30 para pessoas sentadas e 40 em pé) e 12 Caio (com 80 vagas, sendo 31 para pessoas sentadas e 49 em pé). Os veículos já estarão equipados com a tecnologia NFC - pagamento da tarifa por meio dos cartões de débito ou crédito, smartphones ou smartwatches através das plataformas de pagamento digitais.

De acordo com Covas, a prefeitura tem exigidos duas questões importantes em relação a esses ônibus. "Primeiro: a eletricidade deve vir de uma fonte limpa. Não exigir isso é transferir a poluição. Segunda questão: para utilizar esse tipo de nova energia é preciso que ela seja, no máximo, a mesma proporção de custo que hoje o diesel representa para o ônibus. Esse custo vai cair no futuro e, quem sabe lá na frente possa também representar uma redução da tarifa por conta dessa energia", afirmou.

Segundo o secretário de Mobilidade e Transportes, Edson Caram, "São Paulo é pioneira na busca de novas tecnologias para transportar os passageiros com conforto e segurança, agora com energia limpa, sem agredir o meio ambiente. É isso que essa nova frota de ônibus elétricos representa".

"A partir de hoje, São Paulo tem a maior frota de ônibus 100% elétricos do País. Mais uma vez, somos pioneiros em apresentar inovações que reforçam o nosso compromisso em promover a qualidade de vida das pessoas. A SPTrans conseguiu com esse projeto mais uma referência técnica. Viabilizamos um projeto que capta energia limpa gerada em uma fazenda no interior do Estado para abastecer os ônibus que circulam na cidade", afirmou o presidente da SPTrans, Paulo Shingai

Os modelos BYD D9W são 100% elétricos, movidos a bateria, e possuem área para cadeira de rodas, acessibilidade com rampa de acesso, piso baixo, Wi-Fi, USB e ar-condicionado.

TARIFAS

Ao ser questionado sobre um possível aumento do transporte na Capital no próximo ano, Covas disse que o assunto está sendo discutido com o governador João Doria (PSDB), mas não afirmou se o valor será reajustado e de quanto seria o reajuste.

"Estamos tratando isso com o governo do estado e assim que for definido a gente divulga. Ainda este ano", disse Covas.

Atualmente, o valor da tarifa é de R$ 4,30.

Publicado em Capital

Por causa do feriado da Consciência Negra, nesta quarta-feira (20), o rodízio municipal de veículos estará suspenso na capital, voltando a vigorar na próxima quinta (21) para as placas com final 7 e 8.

Alguns serviços públicos também terão horário diferenciado no feriado. Os postos do Poupatempo na capital, por exemplo, estarão fechados. Nas cidades onde o feriado não foi instituído, as agências vão abrir normalmente. O mesmo vale para as agências bancárias.

Os serviços de saúde também terão programação diferenciada.

Quem ficar na capital poderá aproveitar o dia com temperatura amena. A máxima não deverá passar dos 26°C nesta quarta. Existe a possibilidade de pancadas de chuvas isoladas durante à tarde.

Publicado em Capital

O diretório do Democratas de São Paulo expulsou, nesta segunda-feira (18), o deputado estadual Arthur do Val, o Mamãe Falei. No fim de semana, o parlamentar, que é membro do MBL, chegou a ser lançado em congresso do movimento como pré-candidato à prefeitura da capital paulista.

Apesar de expressar sua vontade de ser candidato, Arthur não tinha apoio majoritário do DEM, que integra a base de governo de João Doria (PSDB) em São Paulo e deve apoiar a reeleição do prefeito Bruno Covas (PSDB).

Arthur afirmou à reportagem que foi pego de surpresa pela expulsão, muito embora tenha desafiado os interesses do partido em inúmeras ocasiões, inclusive ao criticar Doria na Assembleia e votar contra projetos de interesse do governo.

"Logo que a gente entrou, tínhamos rusgas no partido. Eu falei que penso desse jeito e não vou mudar", disse Arthur. A votação na cúpula paulista do DEM pela expulsão do parlamentar foi unânime.

É comum que o deputado vote contra orientação do partido e critique decisões da sigla. Youtuber, ele costuma criar polêmica com os demais deputados na Assembleia.

Ele chegou a receber uma advertência do Conselho de Ética da Casa por ter se referido aos colegas como "vagabundos" durante sessão plenária em junho passado.

Arthur afirma que tem convites de outros partidos, mas que não estudou a questão ainda. Ao ser expulso, o deputado pode manter o mandato e migrar para outra sigla.

O membro do MBL considera que o DEM deu um tiro no pé ao expulsá-lo. Arthur foi eleito com 478 mil votos e tem quase 2,6 milhões de inscritos em seu canal do YouTube.

Procurado, o DEM não se manifestou até a conclusão deste texto.

Publicado em Capital

O homem que empurrou uma mulher sobre os trilhos do Metrô na estação Conceição, da Linha-1 Azul, na zona sul da capital paulista, em janeiro de 2018, "não evidencia sintomas psicóticos ou comprometimento do juízo de realidade". Essa é a conclusão do laudo pericial elaborado por uma divisão do Instituto Médico Legal de São Paulo (IML-SP), de acordo com documento obtido pela "GloboNews".

Suspeito pelo ato, o faxineiro Sebastião José da Silva, 55 anos, foi preso logo em seguida e segue detido até hoje. Ele disse à polícia, em depoimento, que cometeu o crime por ouvir vozes.

O laudo pericial aponta também que ele usou drogas no dia anterior ao crime. O documento aponta que o faxineiro é "usuário contumaz de drogas, principalmente cocaína".

Elaborado em 22 de setembro deste ano - 1 ano e 8 meses após o crime -, o exame de sanidade mental foi juntado ao processo criminal aberto pela Justiça contra o faxineiro, na 1ª Vara do Júri de São Paulo. Ainda não há definição de quando começaram as próximas fases do processo.

Sebastião empurrou a vítima, Jussara Araújo de Souza, no momento em que o trem chegava à estação. A composição passou por cima da mulher, sem atingi-la, graças a um vão em baixo do trem. Ela machucou apenas o braço.

"Caí com a cabeça na minha bolsa. Minha bolsa me salvou. É muito barulho, muita poeira, muito quente. Se não fosse Deus eu não estava viva para contar a história", disse a mulher à época, em entrevista ao portal "G1".

Publicado em Capital

O programa "Tô Legal!", lançado em 1º de julho pela Prefeitura de São Paulo, atingiu a marca de 7.558 autorizações para o comércio em vias públicas da Capital. A iniciativa resultou na arrecadação de R$ 2.081.158,72 e visa incentivar o empreendedorismo, trabalho e geração de renda por meio de um sistema totalmente informatizado, que elimina a burocracia e facilita a vida do trabalhador.

A venda de produtos e a prestação de serviços podem ser realizados nas vias e logradouros públicos da cidade, desde que legais e previamente autorizados. A administração municipal poderá autorizar o uso da via, da calçada ou passeio, de praças e canteiros, dependendo do tipo de atividade. Basta solicitar um documento público de controle a Portaria de Autorização, ou o Termo de Permissão de Uso, conforme o caso.

Na ausência desses documentos, o comerciante ou prestador de serviços estará sujeito a sanções, como multa, além da apreensão da mercadoria e do equipamento ou do veículo utilizados.

Para facilitar a vida do cidadão, a capital paulista implementou o "Tô Legal!", um sistema eletrônico para o requerimento, expedição e pagamento desses documentos.

O site já recebeu 201 mil visitas. Para obter o documento, é preciso acessar o site tolegal.prefeitura.sp.gov.br, no qual estão informações como um mapa para verificar a disponibilidade do local de interesse e a documentação necessária. A partir daí, é só solicitar a autorização para trabalhar no ponto escolhido e pelo período desejado - um dia, uma semana ou um mês, por exemplo.

A autorização é válida para um período máximo de 90 dias no mesmo local e será emitida após o pagamento do Documento de Arrecadação do Município (DAMSP) na rede bancária, que será de, no mínimo, R$ 10,72 por dia. A mesma pessoa não poderá emitir duas autorizações em locais diferentes que sejam no mesmo dia e horário. O valor da taxa varia conforme o preço do metro quadrado da região escolhida.

Publicado em Capital

Após processo seletivo, o partido Novo terminou por escolher o nome que já era considerado favorito para disputar a Prefeitura de São Paulo no ano que vem, Filipe Sabará.

Aos 36 anos, Sabará é ex-presidente do Fundo Social do estado de São Paulo e ex-secretário de Assistência Social da capital, tendo sido nomeado para os dois cargos pelo então prefeito e hoje governador, João Doria (PSDB).

Para se afastar do apadrinhamento do tucano e, assim, dissipar desconfianças no Novo, Sabará se demitiu há um mês do Fundo Social de SP, órgão de filantropia do estado.

O nome dele precisará ser confirmado em convenção municipal do partido, no ano que vem, para concorrer à eleição, mas a confirmação nesse caso é vista como algo protocolar.

Na fase final do processo seletivo do Novo, Sabará disputou a indicação do partido com Claudio Lottenberg, presidente do conselho de administração da UnitedHealth; Diogo da Luz, que foi candidato ao Senado no ano passado; e Emerson Kapáz, empresário e ex-deputado federal pelo PSDB.

No total, 55 pessoas se inscreveram no processo seletivo do Novo para candidato a prefeito em São Paulo. A seleção teve três etapas, sendo a última uma entrevista com dirigentes da cúpula do partido.

Em entrevista à Folha de S.Paulo sobre o processo, o presidente da legenda, João Amoêdo, negou que a seleção pudesse ter viés de indicação política e afirmou que as escolhas seguem critérios técnicos.

A primeira etapa é uma análise de currículo, enquanto a segunda é uma entrevista com a consultoria Exec, especializada em recrutamento. Para participar da segunda fase, os candidatos tiveram que pagar R$ 4.000.

O Novo abriu processo seletivo para candidatos a prefeito em 68 cidades, com 468 inscritos no total.
Além de São Paulo, já houve pré-candidatos selecionados em seis cidades, incluindo o Rio de Janeiro, onde o empresário e ex-presidente do Flamengo Fred Luz foi escolhido.

Depois de eleger quatro vereadores na eleição de 2016, a primeira da qual participou, o Novo alcançou bom resultado em 2018: elegeu oito deputados federais, 11 estaduais e um distrital, além do governador de Minas Gerais, Romeu Zema. O presidenciável Amôedo terminou em quinto lugar, com 2,5% dos votos válidos.

Sabará é fundador da ONG Arcah, que se dedica a reinserir moradores de rua no mercado de trabalho e é também herdeiro do Grupo Sabará, gigante da indústria química voltada à fabricação de cosméticos.

À frente da área social, Sabará defendeu a ideia de que a solução para a pobreza está mais no empreendedorismo do que em assistencialismo e programas sociais. Ele costuma usar o mote "liberal no social" para identificar sua atuação.

Veja outras cidades onde o Novo já escolheu pré-candidato:

• Rio de Janeiro: Fred Luz
• Recife: Charbel
• Fortaleza: Geraldo Junior
• Natal: Fernando Pinto
• São José dos Campos (SP): Agliberto Chagas
Joinville (SC): Adriano Silva

Publicado em Capital

Sob aplausos de servidores, políticos e do governador João Doria (PSDB), o prefeito Bruno Covas (PSDB) retornou nesta segunda-feira (18) ao gabinete da Prefeitura de São Paulo. Ele não quis comentar a eleição à prefeitura em 2020 e disse que o próprio corpo ditará seu ritmo de trabalho à frente da gestão da cidade.

"Enquanto eu tiver dentro das minhas faculdades mentais e condições físicas, eu sou obrigado a ser prefeito", disse Covas em uma coletiva de imprensa. Covas afirmou ainda querer trabalhar o máximo possível para poder ocupar a mente.

O prefeito Bruno Covas passa pelo tratamento de um câncer no trato digestivo. Pelas recomendações médicas e para preservar a saúde, o prefeito deve evitar agendas externas com grandes aglomerações.

"Quimioterapia, além de derrubar o cabelo, derruba a imunidade. No meu caso, eu não tinha cabelo, preventivamente tirei a barba", brincou o prefeito.

Covas disse que poderia até gravar vídeos para que pudesse estar presente em eventuais inaugurações feitas pela prefeitura. "A ausência do prefeito não pode impedir a inauguração de uma UBS que vai atender à população", disse Covas.

O tucano agradeceu ainda as mensagens de amigos e cidadãos anônimos que lhe desejaram melhoras. O prefeito disse ainda esperar o dia em que irá comemorar "a vitória plena" contra a doença.

Covas voltará a se ausentar do gabinete na próxima segunda-feira (25), quando se internara para a terceira sessão de quimioterapia que deverá ocorrer entre a terça e quarta-feira.

Durante a coletiva, Covas foi questionado diversas vezes sobre sua candidatura à prefeitura em 2020. Foi questionado também sobre alianças com a deputada federal Joice Hasselman.

Todas as vezes, o prefeito disse que aguardará o ano de 2020 para tomar decisões. Segundo ele, até lá, qualquer projeção sobre o futuro político da cidade seria um trabalho de futurologia.

Um impasse pode se criar em São Paulo, principalmente a partir de abril de 2020. Neste período, caso o prefeito se ausente, qualquer político que assuma seu posto fica impedido de concorrer à eleição.

Estão na linha sucessória de Covas os vereadores Eduardo Tuma (PSDB, presidente da Câmara), Milton Leite (DEM, vice-presidente) e, depois, Rute Costa (PSD, 2ª vice-presidente).

Questionado sobre o impasse, Covas desconversou e disse estar planejando apenas o seu aniversário de 40 anos para o mês de abril.

A coletiva de imprensa foi concedida ao lado do governador de São Paulo, João Doria (PSDB), que afirmou que o partido não tem um segundo plano para a candidatura à prefeitura da cidade. "Não há plano B. O que existe é plano Covas", falou.

Covas teceu elogios a Doria e disse que a prefeitura está agindo em parceria com o governo do estado em assuntos como a permanência da Fórmula 1 no autódromo de Interlagos, soluções para a região da cracolândia e a despoluição do rio Pinheiros.

Publicado em Capital

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), disse nesta segunda-feira (18) em coletiva de imprensa ao lado do prefeito da capital, Bruno Covas (PSDB), que não existe um "plano B" para o partido na disputa eleitoral do ano que vem em São Paulo.

"(O PSDB) Não tem plano B. Tem o plano Bruno. É só Bruno em 2020 Ele terá saúde, disposição e voto para se reeleger", afirmou o governador, que participou da primeira coletiva que Bruno Covas fez após iniciar o tratamento contra o câncer na região do estômago.

Apesar de negar que esteja articulando sua reeleição, Covas receberá nessa segunda feira em seu gabinete a deputada federal Joice Hasselmann, pré-candidata do PSL à Prefeitura e ex-líder do governo no Congresso. O prefeito desconversou sobre o encontro, mas Doria fez elogios à parlamentar, que chamou de "amiga". "É uma pessoa de grande valor. Quanto mais perto ela estiver do Bruno mais feliz eu serei".

O prefeito também evitou falar sobre o tempo estimado do tratamento e como ele pode afetar seus planos administrativos e políticos. "Cada câncer é diferente do outro. Cada pessoa reage de uma forma. Não há como prever a segunda etapa do tratamento. Não se trata de uma discussão subjetiva, mas objetiva. Enquanto eu estiver dentro das minhas faculdades mentais e físicas sou obrigado a ser prefeito".

Covas chegou à entrevista sem a barba que tornou-se sua marca registrada. Ele explicou que tomou a decisão para se antecipar a quimioterapia. O prefeito informou que começará na semana que vem a terceira etapa da quimioterapia - com 30 horas - e só depois será decidida a segunda etapa do tratamento.

O tucano também afirmou que vai reduzir de 22 para 14 o número de empresas de administração indireta. O projeto já enviado a Câmara paulistana.

Publicado em Capital

O cantor e compositor Reinaldo, conhecido como "príncipe do pagode", morreu, aos 65 anos, na madrugada desta segunda-feira (18) em São Paulo. O artista lutava contra um câncer no pulmão havia quatro anos. A informação da morte foi confirmada pela assessoria de imprensa do artista no início da manhã desta segunda.

Reinaldo Gonçalves Zacarias nasceu no Rio de Janeiro em 9 de novembro de 1954 e iniciou a carreira na década de 1980, quando ganhou o apelido de "príncipe do pagode" de uma rádio fluminense

Em 1986, gravou o seu primeiro álbum, Retrato Cantado de um Amor, que leva o nome de um de seus maiores sucessos. Outras canções que marcaram a carreira de Reinaldo foram Sonhos e Trapaças do Amor. Em 2012, o cantor se candidatou a vereador na cidade de São Paulo, mas não foi eleito.

O enterro de Reinaldo ocorrerá no Cemitério Bela Vista, em Osasco, na Grande São Paulo, às 17h. Nas redes sociais, importantes nomes do samba e do pagode, como Arlindinho, Dudu Nobre e Mumuzinho, lamentaram a morte do cantor.

Publicado em Capital
Página 1 de 35
Gazeta SP

Endereço
Rua Tuim – 101 A
Moema - São Paulo - SP - CEP 04514-100.
Fone: (11) 3729-6600

Contatos
Redação - [email protected]
Comercial - [email protected]

Diretor Presidente
Sergio Souza

Editorias
Brasil / Mundo / Estado / Capital / Grande São Paulo / Litoral / Vale do Ribeira / Serviços / Previdência / Variedades / Casa & Decoração / Turismo / Cinema

Colunistas
Pedro Nastri /
Nilson Regalado / Nilto Tatto/ Nilson Regalado/ Marcel Machado

Diretor Executivo
Daniel Villaça Souza

Diretor de Negócios
Paulo Villaça Souza

Diretor Comercial
Roberto Santos

Jornalista Responsável
Nely Rossany

Endereço
Rua Tuim – 101 A
Moema - São Paulo - SP - CEP 04514-100.
Fone: (11) 3729-6600

Contatos
Redação - [email protected]
Comercial - [email protected]

Diretor Presidente
Sergio Souza

Diretor Executivo
Daniel Villaça Souza

Diretor Comercial
Roberto Santos

Diretor de Negócios
Paulo Villaça Souza

Jornalista Responsável
Nely Rossany

Editorias
Brasil / Mundo / Estado / Capital / Grande São Paulo / Litoral / Vale do Ribeira / Serviços / Previdência / Variedades / Casa & Decoração / Turismo / Cinema

Colunistas
Pedro Nastri /
Nilson Regalado / Nilto Tatto/ Nilson Regalado/ Marcel Machado