últimas notícias
Governador João Doria durante reunião com prefeitos de cidades paulistas na manhã desta quarta
Governador João Doria durante reunião com prefeitos de cidades paulistas na manhã desta quarta
Foto: Divulgação/Governo de SP

Vacinação em SP será de segunda a sexta, das 7h às 22h

João Doria afirmou nesta quarta que toda a população do Estado será vacinada contra a Covid-19 em 2021; aos fins de semana campanha terá horário reduzido

O governador João Doria (PSDB) afirmou nesta quarta-feira que toda a população do estado de São Paulo será vacinada contra a Covid-19 durante o ano de 2021. O tucano se reuniu de forma virtual durante a manhã com os 645 prefeitos que tomaram posse neste ano, para apresentar o Plano Estadual de Imunização, o Plano São Paulo e a política econômica do Estado.

Durante o encontro, o secretário da Saúde, Jean Gorinchteyn, confirmou que a imunização com a CoronaVac vai se iniciar em 25 de janeiro e vai ocorrer de segunda a sexta-feira, das 7h às 22h, e de 7h às 17h aos sábados, domingos e feriados. Participaram do encontro os secretários estaduais, os membros do Centro de Contingência do Coronavírus e a primeira-dama, Bia Doria, presidente do Fundo Social de Solidariedade.

Produzida pelo laboratório chinês Sinovac em parceria com o Instituto Butantan, a CoronaVac ainda precisa ter a eficácia comprovada antes de ser liberada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). A previsão do governo de São Paulo é a de que os documentos sejam entregues à Anvisa nesta quinta-feira, quando também devem ser revelados os resultados dos testes em São Paulo.

Na 1ª fase, segundo anúncio desta quarta, devem ser vacinadas 9 milhões de pessoas no estado de São Paulo. Como a CoronaVac prevê duas doses, estão previstas 18 milhões de doses para essa fase. Além de idosos com mais de 60 anos, serão incluídos os os profissionais de saúde, indígenas e quilombolas (veja calendário ao fim deste texto).

Segunda onda
Doria também disse que o País vive uma segunda onda da Covid-19, algo que ele negava até outubro do ano passado. A existência de uma segunda onda no Brasil não é uma unanimidade entre os especialistas, já que o País nunca chegou a controlar a pandemia de fato.

"Tenho que fazer um alerta e um apelo. Alerta é a circunstância de segunda onda da Covid-19, que chegou ao Brasil e mundo. Não tínhamos essa expectativa até outubro, mas São Paulo, Brasil e 215 países lamentavelmente estão vivendo a segunda onda deste vírus", declarou o governador aos prefeitos.

Veja o calendário de vacinação da primeira e da segunda dose:

Trabalhadores da saúde, indígenas e quilombolas: 25 de janeiro e 15 de fevereiro

Pessoas com 75 anos ou mais: 8 de fevereiro e 1º de março

70 a 74 anos – 15 de fevereiro e 8 de março

65 a 69 anos – 22 de fevereiro e 15 de março

60 a 64 anos – 1º de março e 22 de março

Comentários

Tops da Gazeta