Publicidade

X

Brasil

Mourão diz que comentário sobre 'mães e avós' é uma constatação

O general da reserva disse nesta terça (18) que seu comentário de que casas com mães e avós são "fábrica de desajustados" para o tráfico de drogas foi apenas uma constatação Por Folhapress De São Paulo

dothCom Consultoria Digital

Publicado em 18/09/2018 às 19:30

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

Publicidade

Vice na chapa do presidenciável Jair Bolsonaro (PSL), o general da reserva Hamilton Mourão (PRTB) disse nesta terça-feira (18) que seu comentário de que casas com mães e avós são "fábrica de desajustados" para o tráfico de drogas foi apenas uma constatação.

A declaração, dada nesta segunda-feira (17) em palestra no Secovi, órgão representativo da construção civil em São Paulo, repercutiu negativamente. A presidenciável Marina Silva (Rede), por exemplo, chamou de "afronta".

"[O Brasil vive uma] Crise psicossocial. Uma crise de valores que afeta a nossa sociedade, que atingiu a família. Ontem [segunda], em uma exposição similar a essa, eu deixei claro que esse atingimento da família é muito mais crucial nas nossas comunidades carentes, onde a população masculina em grande parte está presa, ligada à criminalidade ou já morreu, e deixa a grande responsabilidade de levar a família à frente nas mãos de mães e avós. Um órgão de imprensa publicou que eu estava criticando as mulheres. Não estou criticando. Estou fazendo uma constatação de algo que ocorre notadamente nas nossas comunidades carentes", disse o militar.

"Essas mães e avós saem para trabalhar, a grande maioria são cozinheiras e faxineiras, lidam com a dureza da vida o tempo todo, e não têm com quem deixar seus filhos, porque o Estado não está presente para dar uma creche em tempo integral onde essa criança permaneceria. Essa criança vira presa para o tráfico. Essa é a visão", completou em palestra na ACSP (Associação Comercial de São Paulo).

Apoie a Gazeta de S. Paulo
A sua ajuda é fundamental para nós da Gazeta de S. Paulo. Por meio do seu apoio conseguiremos elaborar mais reportagens investigativas e produzir matérias especiais mais aprofundadas.

O jornalismo independente e investigativo é o alicerce de uma sociedade mais justa. Nós da Gazeta de S. Paulo temos esse compromisso com você, leitor, mantendo nossas notícias e plataformas acessíveis a todos de forma gratuita. Acreditamos que todo cidadão tem o direito a informações verdadeiras para se manter atualizado no mundo em que vivemos.

Para a Gazeta de S. Paulo continuar esse trabalho vital, contamos com a generosidade daqueles que têm a capacidade de contribuir. Se você puder, ajude-nos com uma doação mensal ou única, a partir de apenas R$ 5. Leva menos de um minuto para você mostrar o seu apoio.

Obrigado por fazer parte do nosso compromisso com o jornalismo verdadeiro.

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

EM MARÇO

Venda de carros 100% elétricos teve aumento de 973% em relação ao ano passado

Os híbridos venderam 7.411 exemplares em março, com aumento de 9,5% em relação a fevereiro deste ano e de 37,4% em comparação a março de 2023

ECONOMIA

O que é o arcabouço fiscal e por que ele é tão importante?

Sistema veio em substituição ao regime de teto de gastos, vigente desde o governo Temer até o fim de 2022

©2021 Gazeta de São Paulo. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software

Newsletter