Publicidade

X

Estado

Indústria paulista fecha 2.500 postos de trabalho em agosto

Apesar do dado negativo do mês passado, o saldo de empregos da indústria de SP seguiu no campo positivo no acumulado de janeiro a agosto, quando as fábricas abriram 14 mil vagas Por Estadão Conteúdo De São Paulo

dothCom Consultoria Digital

Publicado em 18/09/2018 às 21:13

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

Publicidade

Num resultado que, conforme a entidade, reforça a perspectiva negativa ao emprego, a indústria paulista fechou 2,5 mil postos de trabalho em agosto, segundo informou nesta terça-feira, 18, a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp).

O saldo ficou praticamente estável - queda de 0,08% - na comparação com julho com ajuste sazonal. Apesar do dado negativo do mês passado, o saldo de empregos da indústria de São Paulo seguiu no campo positivo no acumulado de janeiro a agosto, quando as fábricas abriram 14 mil vagas, alta de 0,64%.

"A nossa previsão é de encerrar o ano com emprego negativo na indústria paulista. Esse cenário começou a ganhar força com greve dos caminhoneiros, a indefinição política e a preocupação com o ambiente de negócios internacional, que tem causado o afastamento dos investimentos", diz, em nota, José Ricardo Roriz Coelho, presidente em exercício da Fiesp.

"É o ambiente sadio de negócios que traz o emprego e faz com que a economia volte a melhorar. Temos no mercado interno uma ociosidade em torno de 35%", acrescentou o executivo. Segundo ele, nenhuma das propostas apresentadas pelos candidatos à Presidência indica que 2019 será muito melhor do que este ano.

"Vamos ter desafios grandes ano que vem. Logo de início, vamos ter de trabalhar fortemente com a reforma da Previdência. Temos problema para atingir o teto dos gastos", assinalou Roriz.

Entre os 22 setores acompanhados pela pesquisa de emprego da Fiesp, nove fecharam vagas em agosto, com destaque negativo para as indústrias de produtos têxteis e de produtos de metal, que fecharam, cada uma, pouco mais de mil postos.

Outros nove setores contrataram mais do que demitiram e quatro mantiveram seus quadros estáveis.

Apoie a Gazeta de S. Paulo
A sua ajuda é fundamental para nós da Gazeta de S. Paulo. Por meio do seu apoio conseguiremos elaborar mais reportagens investigativas e produzir matérias especiais mais aprofundadas.

O jornalismo independente e investigativo é o alicerce de uma sociedade mais justa. Nós da Gazeta de S. Paulo temos esse compromisso com você, leitor, mantendo nossas notícias e plataformas acessíveis a todos de forma gratuita. Acreditamos que todo cidadão tem o direito a informações verdadeiras para se manter atualizado no mundo em que vivemos.

Para a Gazeta de S. Paulo continuar esse trabalho vital, contamos com a generosidade daqueles que têm a capacidade de contribuir. Se você puder, ajude-nos com uma doação mensal ou única, a partir de apenas R$ 5. Leva menos de um minuto para você mostrar o seu apoio.

Obrigado por fazer parte do nosso compromisso com o jornalismo verdadeiro.

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

CHUVA E FRIO

Frente fria avança para o Sudeste e pode causar queda de temperatura em SP

O clima deve mudar a partir de quarta-feira (17), devido a formação de ciclone e avanço de uma frente fria pelo Sul do Brasil; veja previsão

ENTREVISTA

Felicio Ramuth: 'O governo do Estado quer dar uma atenção especial ao centro'

Em entrevista à Gazeta, o vice-governador explicou a mudança da sede do governo para o centro de SP e anunciou resultados do Hub de Cuidados com Cracks e Outras Drogas

©2021 Gazeta de São Paulo. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software

Newsletter