Publicidade

X

Mundo

Coreias entram em acordo por candidatura conjunta para Olimpíada de 2032

O acerto foi comunicado pelos dois países nesta quarta (19), após encontro em Pyongyang entre o presidente sul-coreano, Moon Jae-in, e o ditador norte-coreano, Kim Jong-un Por Folhapress De São Paulo

dothCom Consultoria Digital

Publicado em 19/09/2018 às 19:30

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

Publicidade

A Coreia do Sul e a Coreia do Norte entraram em acordo por uma candidatura conjunta para a Olimpíada de 2032. O acerto foi comunicado pelos dois países nesta quarta-feira (19), após encontro em Pyongyang entre o presidente sul-coreano, Moon Jae-in, e o ditador norte-coreano, Kim Jong-un.

Ainda segundo o comunicado emitido pelas Coreias, ambos os países concordaram também em participar de competições internacionais sob a mesma bandeira, com planos já para os Jogos Olímpicos de 2020, em Tóquio.

Há uma semana, o ministro dos esportes sul-coreano, Do Jong-hwan, havia anunciado a ideia de uma candidatura conjunta. Ele aproveitou o encontro desta quarta para oficializar a oferta à Coreia do Norte.

"Quero fazer esta proposta ao Norte pela paz. Seul e Pyongyang sediarão os Jogos juntos", disse o ministro na ocasião.

Na última Olimpíada de Inverno, no início deste ano, as duas Coreias desfilaram juntas na cerimônia de abertura.

O ato serviu para simbolizar a aproximação entre os dois países, que acabaram se separando depois de um conflito armado entre junho de 1950 e julho de 1953. Tecnicamente os dois países ainda estão em guerra, porque um acordo de paz entre os países não foi assinado.

No passado, as duas Coreias consideraram a opção de organizar conjuntamente os Jogos Olímpicos de 1988 de Seul, mas as negociações não foram adiante, devido a divergências sobre a distribuição das provas.

Na ocasião, a Coreia do Norte decidiu liderar um boicote ao evento, que foi seguido por um pequeno grupo de países do então bloco socialista, entre eles Cuba.

Apoie a Gazeta de S. Paulo
A sua ajuda é fundamental para nós da Gazeta de S. Paulo. Por meio do seu apoio conseguiremos elaborar mais reportagens investigativas e produzir matérias especiais mais aprofundadas.

O jornalismo independente e investigativo é o alicerce de uma sociedade mais justa. Nós da Gazeta de S. Paulo temos esse compromisso com você, leitor, mantendo nossas notícias e plataformas acessíveis a todos de forma gratuita. Acreditamos que todo cidadão tem o direito a informações verdadeiras para se manter atualizado no mundo em que vivemos.

Para a Gazeta de S. Paulo continuar esse trabalho vital, contamos com a generosidade daqueles que têm a capacidade de contribuir. Se você puder, ajude-nos com uma doação mensal ou única, a partir de apenas R$ 5. Leva menos de um minuto para você mostrar o seu apoio.

Obrigado por fazer parte do nosso compromisso com o jornalismo verdadeiro.

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

EM MARÇO

Venda de carros 100% elétricos teve aumento de 973% em relação ao ano passado

Os híbridos venderam 7.411 exemplares em março, com aumento de 9,5% em relação a fevereiro deste ano e de 37,4% em comparação a março de 2023

ECONOMIA

O que é o arcabouço fiscal e por que ele é tão importante?

Sistema veio em substituição ao regime de teto de gastos, vigente desde o governo Temer até o fim de 2022

©2021 Gazeta de São Paulo. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software

Newsletter