Publicidade

X

Capital

Monotrilho na zona leste segue em testes, cinco meses depois da inauguração

Passados 160 dias do início da operação das estações São Lucas, Camilo Haddad, Vila Tolstói e Vila União, todas seguem com funcionamento apenas das 9h às 16h de segunda a sexta feira Por Folhapress De São Paulo

dothCom Consultoria Digital

Publicado em 21/09/2018 às 15:38

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

Publicidade

Cinco meses após a inauguração de quatro estações do monotrilho da linha 15-prata, a situação mudou pouco para moradores da zona leste de São Paulo.

Passados 160 dias do início da operação das estações São Lucas, Camilo Haddad, Vila Tolstói e Vila União, todas seguem com funcionamento apenas das 9h às 16h de segunda a sexta feira.

A entrega foi feita no último dia da gestão do ex-governador Geraldo Alckmin (PSDB), que deixou o governo para a disputa da presidência. Após o evento, as obras tiveram ritmo reduzido.

Previstas inicialmente para 2012, as estações fazem parte da linha que liga Cidade Tiradentes e Vila Prudente, na zona leste paulistana, e ajudaria a desafogar a situação de quem vive em regiões como Sapopemba.

No entanto, a demora na entrega tem gerado reclamações de moradores do bairro. O estudante P. G. da S., 20, leva em média 50 minutos, em um dia de pouco fluxo, para chegar à estação de metrô Oratório, única inaugurada desde o início do projeto.

"É muito complicado cruzar todo esse percurso e saber que a linha só chegou até a metade do caminho, pois da estação até o centro ainda é bem distante", afirma.

Morador de Sapopemba há 20 anos, J.A., 45, não tem segunda opção, quando faltam linhas de ônibus. De transporte público, levaria mais de 1h30 até a estação Belém, da linha 3-vermelha.

Além da inauguração às pressas das quatro estações, moradores relatam problemas mesmo no período em que está em funcionamento. O intervalo entre os trens chega até 30 minutos, a velocidade é reduzida e há interrupção da viagem para trocar de plataforma.

Por outro lado, apontam que há melhorias no entorno das estações como o paisagismo e uma pista de corrida e lazer.

"Se a obra for concluída até São Mateus já facilitaria muito nossa vida, porque até Cidade Tiradentes não tem previsão de entrega. Mas reduziria muito o problema da região com transporte", afirma M.G., 46, nascida e moradora da região.

"Espero que até o fim do ano elas já estejam funcionando. Estamos em ano de eleição e as estações prontas e em testes. Não entendo por que não são utilizadas ou prolongam o horário por mais tempo", completa.

Segundo o Metrô, a previsão é de que os testes se encerrem neste semestre, dando início à operação plena no novo trecho. A Companhia não especificou o mês.

"Os testes que vêm sendo realizados na linha 15-Prata seguem protocolos rígidos e imprescindíveis, que obedecem a padrões internacionais, fundamentais para a verificação da maturidade dos equipamentos, sistemas e interfaces, garantindo a sua confiabilidade e segurança".

A empresa afirma que ainda neste ano, as estações Jardim Planalto, Fazenda da Juta, Sapopemba e São Mateus serão entregues.

Apoie a Gazeta de S. Paulo
A sua ajuda é fundamental para nós da Gazeta de S. Paulo. Por meio do seu apoio conseguiremos elaborar mais reportagens investigativas e produzir matérias especiais mais aprofundadas.

O jornalismo independente e investigativo é o alicerce de uma sociedade mais justa. Nós da Gazeta de S. Paulo temos esse compromisso com você, leitor, mantendo nossas notícias e plataformas acessíveis a todos de forma gratuita. Acreditamos que todo cidadão tem o direito a informações verdadeiras para se manter atualizado no mundo em que vivemos.

Para a Gazeta de S. Paulo continuar esse trabalho vital, contamos com a generosidade daqueles que têm a capacidade de contribuir. Se você puder, ajude-nos com uma doação mensal ou única, a partir de apenas R$ 5. Leva menos de um minuto para você mostrar o seu apoio.

Obrigado por fazer parte do nosso compromisso com o jornalismo verdadeiro.

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

EM MARÇO

Venda de carros 100% elétricos teve aumento de 973% em relação ao ano passado

Os híbridos venderam 7.411 exemplares em março, com aumento de 9,5% em relação a fevereiro deste ano e de 37,4% em comparação a março de 2023

ECONOMIA

O que é o arcabouço fiscal e por que ele é tão importante?

Sistema veio em substituição ao regime de teto de gastos, vigente desde o governo Temer até o fim de 2022

©2021 Gazeta de São Paulo. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software

Newsletter