Publicidade

X

Brasil

Índice de produção sobe para 54,1 pontos em agosto ante 52,2 em julho

Em uma escala na qual valores acima dos 50 pontos significam crescimento, o desempenho do setor alcançou 54,1 pontos, superior aos 52,2 pontos de julho Por Estadão Conteúdo

dothCom Consultoria Digital

Publicado em 25/09/2018 às 03:30

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

Publicidade

A produção nas fábricas brasileiras voltou a aumentar de ritmo em agosto, de acordo com sondagem divulgada nesta segunda-feira, 24, pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). Em uma escala na qual valores acima dos 50 pontos significam crescimento, o desempenho do setor alcançou 54,1 pontos, superior aos 52,2 pontos de julho.

"Trata-se do segundo aumento mensal consecutivo da produção, fato comum na passagem de julho para agosto, tendo em vista a necessidade de maior produção para atender vendas de fim de ano. Esse crescimento só não ocorreu em 2014 e 2015, anos de queda da produção industrial", avaliou a CNI, no documento.

Com maior produção, também houve redução na ociosidade do parque industrial no mês passado. A Utilização da Capacidade Instalada (UCI) passou de 68% em julho para 69% em agosto.

O resultado é três pontos porcentuais (p.p.) superior à média para o mês entre 2015 e 2017, mas 5 p.p. inferior à medida registrada em agosto entre 2011 e 2014. Com isso, o índice que mede a UCI em relação ao usual para o período chegou a 45,3 pontos.

Os estoques da indústria acima do planejado no mês passado, com indicador em 51,2 pontos. Já o emprego na indústria continuou em retração, embora menor que a registrada em julho, com índice de 49,1 pontos em agosto ante 48,5 pontos no mês anterior.

Expectativas

Embora tenha havido melhora nos indicadores presentes, a sondagem mostra uma piora nas expectativas dos empresários da indústria para os próximos seis meses. Em uma escala na qual valores acima de 50 pontos significam otimismo, a intenção de investimento passou de 51 pontos para 50,8 pontos.

Já o índice de demanda recuou de 57,8 pontos para 56 pontos em agosto. A perspectiva de compra de matéria-prima passou de 54,8 pontos para 54,2 pontos. A expectativa com relação às exportações também piorou, de 55 pontos para 53,3 pontos.

"A redução do otimismo está relacionada com a frustração da demanda que pode ser percebida pelo acúmulo indesejado nos estoques. Além disso, o aumento da incerteza também pode ter afetado o ânimo dos empresários", avaliou o economista da CNI, Marcelo Azevedo.

Apoie a Gazeta de S. Paulo
A sua ajuda é fundamental para nós da Gazeta de S. Paulo. Por meio do seu apoio conseguiremos elaborar mais reportagens investigativas e produzir matérias especiais mais aprofundadas.

O jornalismo independente e investigativo é o alicerce de uma sociedade mais justa. Nós da Gazeta de S. Paulo temos esse compromisso com você, leitor, mantendo nossas notícias e plataformas acessíveis a todos de forma gratuita. Acreditamos que todo cidadão tem o direito a informações verdadeiras para se manter atualizado no mundo em que vivemos.

Para a Gazeta de S. Paulo continuar esse trabalho vital, contamos com a generosidade daqueles que têm a capacidade de contribuir. Se você puder, ajude-nos com uma doação mensal ou única, a partir de apenas R$ 5. Leva menos de um minuto para você mostrar o seu apoio.

Obrigado por fazer parte do nosso compromisso com o jornalismo verdadeiro.

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

rodovia Padre Manoel da Nóbrega

Rodovia que corta o Litoral terá 12 pontos de pedágio; veja os locais

Caso os pontos de cobrança da rodovia tenha o valor máximo, o preço total pago em pedágios para cortar a Padre Manoel da Nóbrega será de R$ 72

Lote Litoral Paulista

Rodovias privatizadas no Litoral devem ter 15 pontos de pedágio; veja os locais

Concessão da Parceria Público-Privada possui 213 quilômetros de extensão em rodovias ligando o Alto Tietê ao litoral sul de São Paulo

©2021 Gazeta de São Paulo. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software

Newsletter