Publicidade

X

Brasil

Votação do primeiro turno acontece no próximo domingo

Para ajudar o leitor, a Gazeta esclarece os procedimentos e algumas dúvidas do que pode fazer ou não no dia da eleição Por Aline Fonseca De São Paulo

dothCom Consultoria Digital

Publicado em 04/10/2018 às 22:24

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

Publicidade

No próximo domingo, 7 de outubro, acontece o primeiro turno das eleições 2018. Os brasileiros vão às urnas para escolher deputado federal e estadual, senador, governador e presidente da República. A votação começa às 8h e se encerra às 17h.

Para ajudar o leitor, a Gazeta esclarece os procedimentos e algumas dúvidas do que pode fazer ou não no dia da eleição.

Para saber o local de votação, o eleitor pode consultar o endereço da sua sessão pela internet, pela Central de Atendimento ou no cartório eleitoral em que está inscrito. No site do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), o local pode ser consultado na opção Consulta por título ou na Consulta por nome, após preencher os dados as informações sobre o endereço da votação, número da zona e da seção aparecerão automaticamente.

Como nestas eleições os eleitores terão que escolher seis candidatos para cinco cargos, a Justiça Eleitoral disponibiliza a chamada “cola eleitoral”, que pode ser levada à cabina de votação (veja ao lado e recorte a sua cola). O eleitor votará na seguinte ordem: deputado federal, deputado estadual ou distrital, dois senadores, governador e presidente da República. É importante digitar o número de cada candidato com atenção e conferir a foto do político escolhido antes de apertar a tecla “Confirma” ou “Corrige”, caso ocorra algum erro. Somente após concluída a etapa de votação, a urna fará a gravação, criptografia e assinatura digital do voto. Feito isso, a palavra “FIM” aparecerá na tela, e a urna emitirá um sinal sonoro sinalizando que a votação foi concluída com sucesso.

O eleitor que estiver fora de seu domicílio eleitoral e não votar no domingo deve justificar a sua ausência ao pleito. Ele tem o período de até 60 dias para apresentar a justificativa em qualquer cartório eleitoral.

O que pode e não pode

Embora o TSE recomende que o eleitor esteja com o título em mãos para votar, ele não é obrigatório. O que é obrigatório é levar um documento oficial com foto: RG, passaporte, carteira profissional, certificado de reservista, carteira de trabalho, Documento Nacional de Identidade (DNI) ou carteira nacional de habilitação.

No dia da votação é proibido pedir votos ou fazer propaganda do candidato verbalmente, ou tentar convencer alguém no local a votar em alguma candidato. Distribuição de santinhos, bandeiras, ou qualquer tipo de propaganda na zona eleitoral também são proibidos. Camisas e bonés de determinado candidato só podem ser usados se tiverem sido feitos pelo próprio eleitor.

Na cabine de votação não é permitido o uso de celular, câmera fotográfica, filmadora ou qualquer aparelho semelhante.

Apoie a Gazeta de S. Paulo
A sua ajuda é fundamental para nós da Gazeta de S. Paulo. Por meio do seu apoio conseguiremos elaborar mais reportagens investigativas e produzir matérias especiais mais aprofundadas.

O jornalismo independente e investigativo é o alicerce de uma sociedade mais justa. Nós da Gazeta de S. Paulo temos esse compromisso com você, leitor, mantendo nossas notícias e plataformas acessíveis a todos de forma gratuita. Acreditamos que todo cidadão tem o direito a informações verdadeiras para se manter atualizado no mundo em que vivemos.

Para a Gazeta de S. Paulo continuar esse trabalho vital, contamos com a generosidade daqueles que têm a capacidade de contribuir. Se você puder, ajude-nos com uma doação mensal ou única, a partir de apenas R$ 5. Leva menos de um minuto para você mostrar o seu apoio.

Obrigado por fazer parte do nosso compromisso com o jornalismo verdadeiro.

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

EM MARÇO

Venda de carros 100% elétricos teve aumento de 973% em relação ao ano passado

Os híbridos venderam 7.411 exemplares em março, com aumento de 9,5% em relação a fevereiro deste ano e de 37,4% em comparação a março de 2023

ECONOMIA

O que é o arcabouço fiscal e por que ele é tão importante?

Sistema veio em substituição ao regime de teto de gastos, vigente desde o governo Temer até o fim de 2022

©2021 Gazeta de São Paulo. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software

Newsletter