Publicidade

X

Estado

Doria, Skaf e França valorizam papel dos eleitores paulistas nesta eleição

O candidato do PSDB destacou a importância do estado de São Paulo no pleito deste ano Por Folhapress

dothCom Consultoria Digital

Publicado em 07/10/2018 às 20:00

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

Publicidade

Os três candidatos que aparecem à frente nas pesquisas para o governo do estado de São Paulo votaram na manhã deste domingo (7) na capital paulista.

João Doria, líder nas pesquisas, começou o dia na Escola Britânica de São Paulo, no Jardim Paulistano, onde votou às 9h15. Negou ter votado para presidente, no postulante do PSDB ao Planalto Geraldo Alckmin, apenas por solidariedade. "Foi um voto de solidariedade, apoio, razão e emoção", afirmou.

O candidato destacou a importância do estado de SP no pleito deste ano. "São Paulo tem o maior colégio eleitoral do país. Tem um papel muito importante nessa eleição. Hoje é dia de democracia, de defesa dos princípios democráticos."

Depois, Doria acompanhou o voto de Geraldo Alckmin.

Em segundo lugar nas pesquisas, Paulo Skaf (MDB) foi o primeiro candidato ao governo estadual a votar, também na Escola Britânica. Acompanhado de filhos e netos, ele disse que aguardaria com serenidade os resultados.

"Se for a vontade de Deus e a decisão dos eleitores de São Paulo, eu antecipadamente agradeço, qualquer que seja o resultado. Hoje deve ser um dia de paz e serenidade, e é isso que desejo a todos."

Márcio França, candidato pelo PSB, chegou à seção eleitoral da Escola Estadual Ludovina Credidio Peixoto, no Itaim Bibi, às 10h.

Na saída de sua seção, falou a jornalistas sobre a expectativa da apuração. "Estou com muita esperança que aqui de São Paulo saiam as luzes para que a gente possa caminhar com diálogo, conversa e entendimento."

França disse que a eleição começou e terminou com a facada no candidato do PSL, Jair Bolsonaro (PSL), e comparou o fato com o acidente de avião com o candidato à Presidência pelo PSB em 2014, Eduardo Campos. "Se o Eduardo tivesse sobrevivido ao acidente, ele fatalmente teria ganhado a eleição. É natural pela circunstância de chamar a atenção ao fato. O que aconteceu com a facada foi isso."

O candidato afirmou ainda que torce por um presidente paulista. "Depois de Rodrigues Alves, mais de 100 anos depois vamos voltar a ter um paulista."

Apoie a Gazeta de S. Paulo
A sua ajuda é fundamental para nós da Gazeta de S. Paulo. Por meio do seu apoio conseguiremos elaborar mais reportagens investigativas e produzir matérias especiais mais aprofundadas.

O jornalismo independente e investigativo é o alicerce de uma sociedade mais justa. Nós da Gazeta de S. Paulo temos esse compromisso com você, leitor, mantendo nossas notícias e plataformas acessíveis a todos de forma gratuita. Acreditamos que todo cidadão tem o direito a informações verdadeiras para se manter atualizado no mundo em que vivemos.

Para a Gazeta de S. Paulo continuar esse trabalho vital, contamos com a generosidade daqueles que têm a capacidade de contribuir. Se você puder, ajude-nos com uma doação mensal ou única, a partir de apenas R$ 5. Leva menos de um minuto para você mostrar o seu apoio.

Obrigado por fazer parte do nosso compromisso com o jornalismo verdadeiro.

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

EM MARÇO

Venda de carros 100% elétricos teve aumento de 973% em relação ao ano passado

Os híbridos venderam 7.411 exemplares em março, com aumento de 9,5% em relação a fevereiro deste ano e de 37,4% em comparação a março de 2023

ECONOMIA

O que é o arcabouço fiscal e por que ele é tão importante?

Sistema veio em substituição ao regime de teto de gastos, vigente desde o governo Temer até o fim de 2022

©2021 Gazeta de São Paulo. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software

Newsletter