Publicidade

X

Brasil

CNJ mantém afastamento de juiz que tentou recolher urnas eletrônicas

A decisão do juiz de Formosa (GO) seria proferida em uma ação popular que questiona a segurança e a credibilidade das urnas eletrônicas Por Folhapress

dothCom Consultoria Digital

Publicado em 09/10/2018 às 22:18

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

Publicidade

O CNJ (Conselho Nacional de Justiça), manteve nesta terça-feira (9) o afastamento do juiz Eduardo Cubas, que, às vésperas do primeiro turno, tentou recolher urnas eletrônicas.

A decisão do juiz de Formosa (GO) seria proferida em uma ação popular que questiona a segurança e a credibilidade das urnas eletrônicas. Ele pretendia mandar o Exército recolher o equipamento.

A AGU (Advocacia-Geral da União) foi informada e pediu ao CNJ o seu afastamento. A corregedoria o afastou e, agora, o plenário do CNJ manteve a decisão. Ele tem 15 dias para apresentar sua defesa.

"Não tenho nenhuma relação com a família Bolsonaro. Tenho apenas gratidão para com a família Bolsonaro", disse Cubas a jornalistas nesta terça, acrescentando que o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) questionou a modificação das 10 medidas contra a corrupção.

A desconfiança acerca das urnas eletrônicas é tema de diversos questionamentos pelo clã Bolsonaro.

A AGU juntou aos autos um vídeo no qual o juiz aparece ao lado de Eduardo Bolsonaro questionando a segurança e a credibilidade das urnas eletrônicas - "manifestando, portanto, opinião político-partidária incompatível com a função de juiz", diz o órgão.

Cubas não explicou como foi feito o convite para gravarem vídeos juntos.

Ele disse que já fez vídeo com o senador Renan Calheiros (MDB-AL) em defesa do fim dos penduricalhos da magistratura e que não se recorda de ter feito gravações com integrantes do PT.

Magistrado do Juizado Especial Federal Cível de Formosa (GO), Cubas não atua na Justiça Eleitoral e não tem competência para decidir temas relativos à eleição, segundo a AGU.

Além isso, ele deixou de digitalizar os autos da ação popular, conferiu ao processo sigilo judicial sem qualquer fundamento legal, não intimou a União para tomar conhecimento da ação e foi ao Comando do Exército, em Brasília, para antecipar o conteúdo da decisão que daria em 5 de outubro, segundo a AGU.

Cubas disse ainda que um grupo fez apuração paralela de votos e concluiu que Jair Bolsonaro ganhou a eleição no primeiro turno. No entanto, os votos que elegeram os filhos de Bolsonaro foram computados corretamente, acrescentou.

Ele não explicou quem faz parte desse grupo que apurou os votos e nem se a totalização paralela foi feita todas as 500 mil urnas do país.

Apoie a Gazeta de S. Paulo
A sua ajuda é fundamental para nós da Gazeta de S. Paulo. Por meio do seu apoio conseguiremos elaborar mais reportagens investigativas e produzir matérias especiais mais aprofundadas.

O jornalismo independente e investigativo é o alicerce de uma sociedade mais justa. Nós da Gazeta de S. Paulo temos esse compromisso com você, leitor, mantendo nossas notícias e plataformas acessíveis a todos de forma gratuita. Acreditamos que todo cidadão tem o direito a informações verdadeiras para se manter atualizado no mundo em que vivemos.

Para a Gazeta de S. Paulo continuar esse trabalho vital, contamos com a generosidade daqueles que têm a capacidade de contribuir. Se você puder, ajude-nos com uma doação mensal ou única, a partir de apenas R$ 5. Leva menos de um minuto para você mostrar o seu apoio.

Obrigado por fazer parte do nosso compromisso com o jornalismo verdadeiro.

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

LOTERIAS

Lotomania, concurso 2.608: prêmio acumulou e vai a R$ 2 milhões

A aposta é unica e custa R$ 3 e pode ser realizada também pela internet, até as 19h

OUTONO

Fim de semana em São Paulo será marcado por pancadas de chuva

No fim de semana a Capital terá dias quentes mas com pancadas de chuva; máxima de 28°C e mínima de 19°C

©2021 Gazeta de São Paulo. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software

Newsletter