últimas notícias
Vera, Hugo, Julia e Aline tiveram seus planos alterados pelo coronavírus
Vera, Hugo, Julia e Aline tiveram seus planos alterados pelo coronavírus
Foto: Fotos: Arquivo Pessoal

Planos adiados pela pandemia

Medo e frustração são alguns dos sentimentos experimentados por quem teve que adiar, ou adaptar, momentos importantes por conta da pandemia

O dia 14 de março deveria ser de festa para a jornalista Vera Golik, 58 anos, e o fotógrafo Hugo Lenzi, 64. Depois de 24 anos, enfim, eles oficializariam a união. A data, porém, ficou marcada por choro e frustração, visto que dois dias antes, eles tiveram que adiar a cerimônia devido à pandemia do novo coronavírus.

"Temos parentes no exterior, então a data foi escolhida com cuidado para que eles pudessem vir. O filho do Hugo veio de Paris, minha irmã dos Estados Unidos. Ao todo, eram 150 convidados.

Macaque in the trees

Minha cunhada cedeu a casa dela em Cotia e já havíamos pago grande parte dos fornecedores. No dia 12, uma prima do Hugo me ligou, perguntando se manteríamos a data, pois ela tinha visto que o coronavírus era algo grande. No mesmo momento, a irmã do Hugo ligou para ele e informou que um vizinho da chácara em Cotia estava doente. Quando desligamos os telefones, fomos conversar e decidimos que não iríamos expor várias pessoas a esse risco. Não foi fácil, chorei muito. Mas, foi a melhor coisa que a gente fez. Dias depois, vimos várias notícias de pessoas que haviam se contaminado em festas.

Nossos fornecedores foram compreensivos. Ainda não tenho uma nova data, mas quando decidirmos, alguns não cobrarão mais nada e outros irão recalcular os valores e nos darão um desconto."

Registro da gravidez

Já no caso da médica Aline de Noronha Reis Garcia, 30 anos, se perdido, o momento não poderia ser resgatado tempos depois. Aline estava com 33 semanas de gestação, quando as orientações de distanciamento social começaram. Assim, ela pensou ter ido embora os planos de registrar em fotos profissionais a primeira gravidez.

Macaque in the trees

"Eu queria muito eternizar em fotos este momento, pois não sei se vou engravidar novamente, já que tive um final de gestação bastante conturbado. Quando aconteceu a pandemia, eu fiquei frustrada, pois pensei que não seria possível. Até que me deparei com um post no Instagram, falando de sessões fotográficas online. Eu fiquei um pouco insegura, mas resolvi arriscar. Afinal, seria melhor do que não ter nenhum registro.

Fizemos as fotos com 37 semanas. Na véspera, a fotógrafa entrou em contato para ver como era a casa, a luz, e deu orientações sobre a roupa. No dia, fizemos uma videoconferência e ela orientou o meu marido para a realização do ensaio. Fiquei muito satisfeita com o resultado."

Sem diploma

Satisfação não é o que Julia Bispo, de 22 anos, sente neste momento. Ainda que ela entenda os motivos que levaram sua instituição de ensino a adiar a colação de grau, incerteza e tristeza são os sentimentos que dominam a jovem recém-formada, que viu seus planos serem atropelados pelo novo coronavírus.

Macaque in the trees

"Aos 10 anos eu já sabia que seria jornalista. Em 2016, entrei na FMU com uma bolsa integral pelo ProUni, que me possibilitou realizar esse sonho (...). A colação de grau estava marcada para 25 de março. Uma semana antes, a faculdade entrou em contato e informou que a cerimônia estava cancelada. Por não ter o diploma em mãos, acabei perdendo algumas ofertas de emprego. Me preocupa também se tudo estará resolvido até o meio do ano, quando pretendo iniciar uma pós (...). Eu entendo que esta era a única providência a ser tomada diante da situação, mas fico triste, era um momento importante para mim ."

A Gazeta entrou em contato com a FMU e, por meio de nota, a instituição informou estar disponibilizando o certificado de conclusão de curso digital e que "o evento festivo da colação de grau será reagendado futuramente para que os alunos possam celebrar a conclusão de sua jornada acadêmica."

Alternativas

Em meio ao caos, nascem novos serviços e produtos para ajudar o consumidor. As sessões de fotografias online é um desses casos. “Fiquei pensando o que poderia fazer para ajudar as pessoas a registrarem esses momentos únicos, como gravidez e os primeiros dias do bebê, que passam rápido? Assim, nasceu a ideia do ensaio online. Compartilhei nas minhas redes sociais e muita gente se interessou. O primeiro não foi fácil, mas depois fui aprimorando”, diz Carla D’Aqui, fotógrafa há 10 anos, responsável pelo ensaio de Aline.

A Same Hour Eventos é outra empresa que criou um novo produto no meio da crise. Batizado de Casamento Surpresa, o serviço cria uma conta no Instagram para os noivos e a alimenta com fotos e vídeos enviados por pessoas próximas do casal. Os convidados do evento são convidados a seguir a conta e interagir com ela. No dia que seria o casamento, o perfil é revelado aos noivos, que ainda participam de uma live com os convidados, na qual podem fazer seus votos. O serviço deve ser contratado por amigos ou parentes e o valor a ser pago é decidido pelo contratante.

Negociação

Evitar aglomerações é uma das medidas de enfrentamento da propagação da Covid-19. Dessa forma, a Fundação Procon-SP entende que o diálogo é a única maneira de diminuir os prejuízos de todos os envolvidos, visto que ninguém teve culpa do rompimento de contrato. “Deve se buscar uma negociação tanto quanto possível”, afirma Fernando Capez, diretor executivo do Procon-SP.

Galeria de Fotos

Tops da Gazeta