Publicidade

X
BBB 22

Jessi diz que passou fome na Xepa, ela foi a última mulher da casa no BBB 22

Jessi comentou que durante sua passagem no BBB chegou a passar fome em alguns momentos

Publicidade

Jessilane esteve no programa Mais Você (Globo) na manhã desta segunda (18), para o café da manhã com o eliminado. / Reprodução/TVGlobo

A bióloga Jessilane esteve no programa Mais Você (Globo) na manhã desta segunda (18), para o café da manhã com o eliminado. "Tenho certeza que você não queria estar aqui comigo hoje", começou Ana Maria Braga, 73. "Desculpa Ana, mas não queria mesmo", completou a professora, em tom de brincadeira.

Jessi comentou que durante sua passagem no BBB chegou a passar fome em alguns momentos. A ex-sister passou 12 semanas na Xepa da casa, e comentou que o pior momento a segunda semana do jogo. "Eu que como o tempo inteiro fui dormir várias noites com a barriga roncando e não podia comer", relembrou.

Além disso, a professora comentou sobre as frases de Tadeu Schimidt, 47, em Libras e a importância da linguagem para sua profissão. "Muitas vezes a gente acaba fazendo com que o surdo aprenda português como primeira língua, quando, na verdade, a língua do surdo é a libras", disse Jessi após receber uma homenagem de um de seus alunos.

A ex-sister ainda comentou uma de suas marcas registradas durante o programa, o choro. Ela contou que costuma chorar em muitos momentos, sejam eles felizes ou tristes. "Sempre fui chorona, inclusive na minha profissão eu me emociono muito. Sou chorona de lei, desde criança", disse.

Eliminada com 63,63% dos votos do público, a professora afirmou que já preparava o "espaço no coração" para sua eliminação, que aconteceu após Natália e Lina –suas maiores aliadas na casa– deixarem também o programa nos últimos dois Paredões. Jessi ainda revelou que pretende continuar a amizade com as ex-sisters.

Com a dinâmica final do programa, a professora precisou enquadrar os brothers da casa em alguns adjetivos. Para a escolha do adjetivo "planta", Jessilane escolheu Paulo André, que já era seu rival na casa. "Não vejo o P.A. como grande jogador. Não acho que ele é tão jogador como os demais", completou.

Deixe a sua opinião

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Mundo

Nicolas Vlavianos, que criou esculturas no Arouche e na Sé, morre aos 93 anos

Segundo sua filha, Myrine Vlavianos, o artista passou os últimos seis meses entre idas e vindas do hospital

Saúde

Anvisa determina recolhimento do remédio 'Losartana', usado para tratar hipertensão

Produtos devem ser retirados das farmácias em até 120 dias

©2021 Gazeta de São Paulo. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software