últimas notícias

Automotor

"Vendas estavam em alta", diz Luiz Carlos Moraes, da Anfavea
Foto:

Contágio real e imediato

Entidades do setor automotivo brasileiro tentam encontrar saída para a crise provocada pela pandemia do Covid-19; o mercado estava aquecido

O tombo previsto inicialmente em abril pelo setor automotivo brasileiro por conta da pandemia do novo coronavírus, com a maior parte das fabricantes com paralisação ou férias coletivas na produção de veículos no Brasil, veio mais cedo. Nos números apresentados pela Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave), todos estavam em vermelho, ou seja, negativos no terceiro mês do ano. Um panorama muito mais sombrio está por vir em abril, se um milagre da ciência global não frear o avanço da gripe Covid-19.

A Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) divulgou no dia 6 de abril os resultados da indústria em março, já com forte contaminação da crise do Covid-19 nas últimas duas semanas do mês. Depois da primeira quinzena de forte atividade no mercado interno, que apontava para um crescimento, a paralisação gradativa do comércio e das fábricas na segunda parte do mês resultou em queda de quase 90% nas atividades do setor. "Até o começo da segunda quinzena, as vendas estavam em alta, em relação a 2019. Mas o avanço da pandemia em nosso país foi provocando a interrupção das atividades nas fábricas e nas concessionárias", contabiliza Luiz Carlos Moraes, presidente da Anfavea.

As montadoras estão oferecendo suas instalações para atividades alternativas. A força-tarefa de conserto de respiradores promovida pelo Ministério da Economia junto à indústria automotiva deu início nesta semana aos reparos e rapidamente já conseguirá entregar os aparelhos em funcionamento para os hospitais do país. Apenas nas cinco instalações da General Motors que estão fazendo os consertos, foram recebidos 91 respiradores, 37 foram consertados e devem seguir para os hospitais de origem nos próximos dias, após a calibragem.

A Volkswagen do Brasil, em parceria com a Associação Brasileira de Distribuidores Volkswagen (Assobrav), oferecerá até o dia 30 de junho serviços de reparo em suas concessionárias para veículos da marca da Secretaria da Saúde dos Estados de São Paulo e do Paraná, locais onde a empresa tem fábrica, que estão sendo usadas no combate ao coronavírus. A mão de obra dos serviços é gratuita, com todos os cuidados de segurança e higiene dos profissionais das concessionárias.

A FCA está montando um hospital de campanha totalmente equipado para o atendimento de casos de coronavírus no município de Goiana e região, na Zona da Mata pernambucana, onde está instalada a fábrica que produz os Jeep Renegade e Compass. Um dos prédios do complexo está em fase de adequação para abrigar cem leitos, dos quais três para os casos mais graves, que demandem estabilização até o deslocamento para uma UTI e outros 97 em enfermaria.

Galeria de Fotos

Comentários

Tops da Gazeta