últimas notícias
Os novos Mercedes GLA foram turbinados pela AMG
Os novos Mercedes GLA foram turbinados pela AMG
Foto: Divulgação

Arrancaram na frente

Enquanto a Mercedes-Benz prepara a chegada da nova geração do GLA aos modelos brasileiros, a Europa ganha as versões "envenenadas" pela AMG

A nova geração do Mercedes-Benz GLA foi revelada em dezembro de 2019 e deve chegar aos modelos brasileiros no segundo semestre deste ano. O SUV compacto ocupa a segunda posição entre os mais vendidos da marca no país, com 485 unidades vendidas no acumulado de janeiro a maio. Na Europa, a AMG - divisão esportiva da Mercedes - preparou suas versões "apimentadas" do SUV compacto, batizada de Panamericana. Elas serão importadas para o Brasil, pois a fábrica daqui não produz as configurações AMG.

Em comparação com à geração anterior do GLA, a nova tem 1,4 centímetros menos no comprimento (4,41 metros), mais 3 centímetros na largura (1,83 metro), 10 centímetros na altura (1,61 metro) e 3 centímetros de distância de entre-eixos (2,73 metros). Assim, o modelo passa a ter mais espaço para a cabeça e para as pernas de quem senta atrás. Na versão "básica", o GLA tem motor 1.3 turbo de 163 cavalos e câmbio automatizado de dupla embreagem com 7 marchas, podendo acelerar de zero a 100 km/h em 8,7 segundos e chegar a 210 km/h. A topo de linha 35 4Matic tem um 2.0 turbo de 306 cavalos, para levar o carro até os 100 km/h em 5,1 segundos e chegar aos 250 km/h.

A Mercedes pegou o motor do GLA 35 4Matic e o "turbinou" com um torque de 40,8 kgfm. Logo em seguida, a AMG dotará o 45 4Matic e o 45S 4Matic com potência de 421 cavalos e torque de 50,9 kgfm sobre mesmo motor 2.0. Para a AMG, o GLA 4S tem uma aceleração da imobilidade aos 100 km/h em apenas 4,3 segundos e uma velocidade final de 250 km/h, limitada eletronicamente. Para aproveitar mais a performance, a divisão equipou o carro com o "Race-Start", um controle de largada que interrompe parcialmente a ignição enquanto as marchas sobem.

Os novos SUVs compactos estão disponíveis na Europa para encomenda. Os preços variam de 54 mil a 69 mil euros - cerca de R$ 295 mil e R$ 380 mil, respectivamente, sem os impostos de importação. Os carros da AMG contam com uma ampla gama de dispositivos de desempenho e segurança para uso nas pistas no dia a dia nas ruas e estradas. A distribuição variável da potência nas quatro rodas é feita pela transmissão de dupla embreagem e uma tração integral ativa.

O GLA preparado pela AMG tem uma revisão na geometria da suspensão, para reduzir as "puxadas" do volante nas acelerações, e braços sobrepostos de alumínio. Os amortecedores adaptativos oferecem ao motorista-piloto três opções de rigidez da suspensão de acordo com seu gosto. A AMG colocou uma placa de alumínio sob o motor para "endurecer" a estrutura dianteira do carro, deixando-o mais dócil e sem as perigosas "saídas de frente". Para frear, o AMG GLA utiliza discos de 13,8 polegadas com pinças de quatro pistões na frente e discos de 13 polegadas e pinças de pistão único na traseira. O pacote opcional AMG Dynamic Plus troca os freios dianteiros por discos de 14,2 polegadas e pinças de seis pistões. Os GLA 45 têm aletas verticais na grade e faróis de led. De série, vêm equipados com rodas de 19 polegadas, podendo ter opcionalmente um conjunto de 21 polegadas. A traseira exibe um aerofólio bem largo sobre o vidro e um para-choque redesenhado com duas saídas de escapamento de 3,2 polegadas cada uma.

Galeria de Fotos

Comentários

Tops da Gazeta