últimas notícias
Caoa Chery Arrizo 6 GSX
Caoa Chery Arrizo 6 GSX
Foto: Luiza Kreitlon/AutoMotrix

Arrizo 6 na briga dos sedãs

O Chery Arrizo 6 GSX quer encarar o Toyota Corolla, o Honda Civic, o Chevrolet Cruze e o Volkswagen Jetta

A Caoa Chery foi criada no Brasil há exatos três anos, em novembro de 2017, originária da aquisição de 50,7% das operações nacionais da fabricante chinesa Chery pelo conglomerado brasileiro Caoa. O Grupo Caoa tem 90 concessionárias próprias da Hyundai, da Subaru, da Ford e, de 2017 para cá, da Caoa Chery. Lançado em versão única e bem equipada, a GSX, o Arrizo 6 desembarcou nas concessionárias nacionais na primeira quinzena de julho, com preço de tabela de R$ 108.750 - mas, até o meados de novembro, ainda aparecia no site da Caoa Chery com o preço de lançamento de R$ 104.990. O único opcional são as cores da carroceria.

Macaque in the trees
O sedã vem com controle eletrônico de estabilidade e tração, freios ABS de última geração e assistente de partida em rampa

Na briga dos sedãs médios, a marca sino-brasileira enfrenta concorrentes de prestígio como o Toyota Corolla, o Honda Civic, o Chevrolet Cruze e o Volkswagen Jetta - todos com preços iniciais a partir de R$ 110 mil em suas configurações menos equipadas. No entanto, enfrentar adversários consagrados não parece ser problema para a montadora novata. A conquista da décima primeira posição entre as marcas de automóveis mais vendidas no país significa ter deixado para trás concorrentes bastante consolidados no mercado local, como Peugeot, Citroën e Mitsubishi. Para manter o crescimento, a Caoa Chery decidiu produzir o Arrizo 6, lançado na China em outubro de 2018 sobre a plataforma M1X, a mesma do Arrizo 5. Sua versão "made in Brazil" foi desenvolvida desde o final do ano passado pela engenharia da Caoa em parceria com o centro de design da Chery em Frankfurt, na Alemanha.

O sedã da Caoa Chery tem 4,67 metros de comprimento, 1,81 metro de largura, 1,41 metro de altura, 2,65 metros de distância de entre-eixos - é quatro centímetros mais longo, três centímetros mais largo, quatro centímetros mais baixo e tem o entre-eixos cinco centímetros mais curto que o Corolla. A capacidade do porta-malas é de 570 litros - são cem litros a mais em relação ao sedã da Toyota e é a maior do segmento no Brasil. O design privilegia traços horizontais, que conferem sensação de amplitude. Os faróis contam com assinatura de leds, luzes de circulação diurna e acendimento e ajuste de altura automáticos dos conjuntos ópticos. Na traseira, uma linha horizontal passa no meio das lanternas em leds, com luzes de neblina afixadas no para-choque. No perfil, destacam-se a silhueta tipo fastback, com uma linha de teto que desce suave até a traseira. O interior, segundo a Caoa Chery, é inspirado no estilo alemão de design Bauhaus - um visual "clean", com formas definidas pela função. A chave presencial comanda não apenas a abertura das portas, mas também o rebatimento dos retrovisores externos, o acionamento do teto solar e a climatização interna - permanecendo sempre a última escolhida pelo motorista antes de sair do carro.

Macaque in the trees
O Arrizo 6 GSX tem 4,67 m de comprimento, 1,81 m de largura, 1,41 de altura e 2,65 de entre-eixos

O Arrizo 6 é equipado com o motor 1.5 turbo bicombustível com 150 cavalos de potência e 21,4 kgfm de torque a 1.750 rotações por minuto, associado à transmissão CVT de 9 marchas e dois modos de condução, o "Eco" e o "Sport". Conforme o Inmetro, faz uma média de 11 km/l na cidade e de 13,3 km/l na estrada com gasolina e de 7,6 km/l na cidade e de 9,4 km/l na estrada abastecido com etanol. Em termos de segurança, o sedã traz controle eletrônico de estabilidade e de tração, freios ABS de última geração com EBD e disco nas quatro rodas, assistente de partida em rampa, botão de freio de mão, seis airbags - de cortina, lateral para motorista e passageiros e duplo frontal -, indicadores de cinto do motorista e do passageiro, de pressão e de temperatura dos pneus e de portas abertas, sistema Isofix de fixação para cadeirinha de criança e alarme.

Macaque in the trees
A câmera de 360 graus ajuda o motorista a visualizar o que está à sua volta e a manobrar o sedã

As vendas do Arrizo 6 totalizaram 204 emplacamentos em outubro. Um número ainda distante das quatrocentas e trinta e seis vendas do Jetta, o quarto colocado no segmento de sedãs médios liderado com folgas pelo Corolla, que emplacou 4.240 unidades no mês passado, seguido de Civic, com 2.463 unidades, e Cruze, com 525 unidades. A Caoa Chery iniciou 2020 com cento e dez lojas localizadas nas principais cidades brasileiras, entretanto, prevê chegar ao final deste ano com cento e quarenta revendas. Juntamente com a ampla linha de SUVs, o novo sedã é uma das apostas para ajudar a viabilizar essa expansão na rede.

Macaque in the trees
O motor do Arrizo 6 GSX é um 1.5 DVVT Turbo flex, com quatro cilindros, 16 válvulas e tem transmissão CVT de 9 marchas

Confortável consistência

O Arrizo 6 não pretende conquistar clientes pelo fato de custar mais barato que os concorrentes. O sedã é um carro dinamicamente sedutor. Com o reforço tecnológico da “câmera de 360 graus”, permite condução agradável e manobras facilitadas no trânsito urbano, com sua direção com assistência elétrica progressiva. Os modos “Sport” e “Eco” ajudam a adequar o comportamento dinâmico às necessidades do motorista. Para os mais “controladores”, há a opção de acionamento manual das marchas na alavanca do console.

Depois que os engarrafamentos do cotidiano são deixados para trás, o sedã revela outro aspecto interessante: é um ótimo parceiro para longas estradas. Os bancos confortáveis permitem ao motorista dirigir durante horas seguidas sem se cansar. Auxiliado pelo perfil baixo da carroceria, que colabora no reduzido coeficiente aerodinâmico de 0,28 cx, o “powertrain” formado pelo motor 1.5 turbo e o câmbio CVT de 9 marchas simuladas oferece ao Arrizo performances dinâmicas bem satisfatórias, especialmente no modo “Sport”.

Macaque in the trees
Caoa Chery Arrizo 6 GSX

As retomadas são consistentes e o conjunto mecânico não “fraqueja” em nenhuma faixa de giros. Velocidades elevadas são atingidas de forma agradavelmente rápida. Nas curvas, as inclinações de carroceria são discretas – quando o motorista “abusa” do acelerador, os controles de estabilidade entram em ação. As frenagens bruscas reforçam a impressão de consistência do conjunto. Os tempos em que os carros projetados na China deixavam a desejar em relação aos japoneses, sul-coreanos, europeus e norte-americanos estão ficando no passado.

Galeria de Fotos

Comentários

Tops da Gazeta