últimas notícias
Renault Kiger pode ser a próxima atração da marca no Brasil
Renault Kiger pode ser a próxima atração da marca no Brasil
Foto: DIVULGAÇÃO

A chave do tamanho

Apresentado na Índia, o utilitário esportivo compacto Kiger pode ser a próxima atração da Renault no Brasil com seu estilo dinâmico e sofisticado

A aposta da Renault para embalar as vendas no Brasil vem da Índia. Trata-se do Kiger, apresentado no país asiático no início de 2021 e prometido para outras "praças" durante o ano - uma das cotadas é o Brasil, onde deverá produzido em São José dos Pinhais (PR). Com apenas 3,99 m de comprimento - acima dos 3,68 m do Kwid e abaixo dos 4,07 m do Sandero -, 1,75 m de largura, 1,60 m de altura e 2,50 m de distância de entre-eixos, o Kiger adota a plataforma modular da Aliança Renault-Nissan-Mitubishi já usada no Triber (outro utilitário esportivo indiano) e tem como objetivo se impor pelo estilo dinâmico e sofisticado, além do espírito aventureiro, com altura em relação ao chão de 20,5 cm.

Macaque in the trees
Depois do Duster e do Kwid, Kiger é um SUV compacto e moderno

Em destaque está uma grade frontal com grafismo 3D e inserções cromadas, o conjunto óptico com leds e os piscas integrados nas luzes de circulação diurnas, enquanto a traseira é marcada pelas lanternas em leds com desenho inédito e assinatura em forma de duplo "C" e por um defletor. Seja qual for a cor da carroceria, o teto externo do Kiger é sempre preto. Os designers da Renault tentaram dar ao carro uma "alma esportiva". A linha inclinada do vidro traseiro integra um defletor que reforça a esportividade aerodinâmica.

Macaque in the trees
Kiger terá bagageiro de 405 litros, sem rebatimento do banco traseiro

"O Renault Kiger é um SUV robusto, pronto para enfrentar a 'selva urbana', e capaz de encarar trechos não muito severos de off-road. O Kiger tem um visual de SUV-cupê, com cabine preparada para oferecer o compartilhamento e o convívio a bordo", afirma Laurens van deb Acker, diretor de Design do Grupo Renault da Índia. Com 1012 quilos -, o Kiger, que usa o "cockpit" do motorista no lado direito do carro porque a Índia utiliza a chamada "Mão Inglesa", devido à colonização britânica, tem duas opções de motores 1.0 a gasolina de três cilindros, ambas associadas de série a um câmbio manual de 5 velocidades. A mais poderosa, com turbocompressor, já é conhecida na Europa, tem cem cavalos de potência e 17 kgfm de torque e pode ter como opcional a transmissão X-Tronic de variação contínua e com 5 marchas simuladas. Na versão de entrada, o Kiger indiano tem um propulsor aspirado com 72 cavalos e 9,8 kgfm, com opção da transmissão Easy-R.

Macaque in the trees
O Kiger adota a plataforma da Aliança Renault-Nissan-Mitubishi

Apesar de suas dimensões "comportadas", o Kiger promete oferecer uma habitabilidade de referência para o segmento, com um bom bagageiro para 405 litros de capacidade, sem o rebatimento do banco traseiro. Fazem parte dos itens de série o sistema de infoentretenimento "touchscreen" com espelhamento para Apple CarPlay e Android Auto, comandos por voz, Bluetooth para cinco dispositivos, tomada USB e leitor de MP4. A configuração "top" conta com seletor de modos de condução Multi-Sens, o qual altera, ainda, a decoração do painel de instrumentos digital de 7 polegadas em função da opção selecionada ("Normal", "Eco" e "Sport"). "Depois do Duster, do Kwid e do Triber, eis o Kiger, um SUV compacto e moderno, perfeitamente alinhado à necessidade do segmento. O Kiger combina tudo o que de melhor a Renault tem para oferecer: a experiência na concepção de automóveis inovadores, a criatividade e o conhecimento do que o cliente busca", comemora Fabrice Cambolive, diretor de Vendas da Renault em Portugal, um mercado que já está garantido no radar do novo modelo.

Galeria de Fotos

Comentários

Tops da Gazeta