últimas notícias
A Nissan apresentou globalmente a nova geração do esportivo Z
A Nissan apresentou globalmente a nova geração do esportivo Z
Foto: Divulgação

Nissan apresenta nova geração do esportivo Z

A Nissan resiste às recentes tendências automotivas e aposta na esportividade tradicional do novo Z

A Nissan apresentou globalmente a nova geração do esportivo Z, em um evento especial realizado em Nova Iorque. Em um momento no qual o mundo só fala em eletrificação e mobilidade consciente, a sétima geração do Z comprova que os esportivos-raiz ainda têm vez, pois encontram eco em uma fiel legião de admiradores – no caso do Z, se traduzem em mais de 50 anos de paixão e dedicação à emoção de dirigir. O novo Z está programado para chegar às concessionárias dos Estados Unidos no primeiro semestre do próximo ano. Para o mercado brasileiro, nenhuma perspectiva de desembarque. A linha Z foi trazida para o país somente uma vez, em 2004, quando a fabricante oriental necessitava de um “carro de imagem” para tentar cativar os brasileiros. A trajetória nacional do esportivo foi tímida em matéria de vendas, porém, o modelo ganhou muitos fãs. Aqui, o 350Z utilizava motor 3.5 V6 aspirado com 280 cavalos de potência, sete a menos em comparação ao carro vendido mundialmente.

Como um modelo importante para a marca japonesa, o Z ajuda a manter o “Nissan-ness” – a essência Nissan – enquanto a fabricante passa por uma transformação corporativa. No centro do sucesso do Z estão os fãs, responsáveis por 1,8 milhão de unidades vendidas desde sua estreia, em 1969, que fazem dele um dos esportivos mais comercializados em escala planetária. Como um esportivo acessível para a era moderna, o novo Z oferece um estilo atraente, tecnologia avançada e a emoção à direção. Embora a Nissan não tenha revelado o preço da nova geração, especula-se que, no mercado norte-americano, fique em torno de US$ 40 mil (cerca de R$ 215 mil). “Para nós da Nissan, o Z faz parte de quem somos e representa anos de nosso compromisso com os clientes. Por meio do Z, levamos o design mais recente, o desempenho e o entusiasmo de carros esportivos para o maior número de pessoas possível”, comemora Ashwani Gupta, diretor de Operações e Performance da Nissan Motor Company.

Macaque in the trees
Com 4,38 m de comprimento, 1,84 m de largura, 1,32 m de altura e 2,55 m de distância de entre-eixos, o esportivo tem design exterior elegante e bem afinado com sua linhagem histórica - Divulgação

Segundo o departamento de marketing da marca oriental, o Z original foi desenvolvido para levar a alegria e a emoção de um esportivo mais em conta em relação ao bolso. Era construído por entusiastas para entusiastas, e esse espírito e herança continuam com o lançamento de sua mais recente “reencarnação”. Uma das características que sempre definiram o Z foi seu vínculo entre o carro e o motorista. E essa ligação homem-máquina domina o novo Z, especialmente na presença da transmissão manual padrão de 6 velocidades. Também está disponível uma transmissão automática de 9 marchas. “Simplificando, nosso objetivo é tornar este o melhor Z. E ponto final! A cada geração, elevamos a barra, empurrando os limites do carro. Mais do que apenas poderoso e ágil, o novo Z foi projetado para ser um parceiro de dança do motorista em suas aventuras na estrada”, orgulha-se Hiroshi Tamura, chefe de Produto da Nissan.

O novo motor 3.0 V6 biturbo acrescenta um aumento na produção de energia em relação ao 370Z da geração anterior. Ele é projetado para fornecer uma resposta rápida, mas com suaves comandos do motorista. Com um aumento 70 cavalos e 30% no torque, o novo Z desenvolve 405 cavalos e 48,39 kgfm a 5.600 rotações por minuto. Com o crescimento da potência, a equipe de engenharia desenvolveu o chassi, o resfriamento, a suspensão e a direção para garantir que o Z continuasse a apoiar as intenções do motorista. Em uma primeira vez em um veículo Nissan com tração traseira, a transmissão manual de 6 velocidades inclui um sistema de controle avançado de assistência nas arrancadas na versão Performance, ajudando a proporcionar uma aceleração suave a partir da posição estática. Todos os modelos da marca equipados com transmissão automática já contam com esse sistema de série. No câmbio manual, o carro tem um eixo de transmissão composto de fibra de carbono e redução da rotação correspondente (“downshift rev matching”).

Macaque in the trees
A cabine do novo Z combina a tecnologia moderna com toques vintage. O console central é inspirado nas gerações anteriores, com três medidores analógicos no painel de instrumentos - Divulgação

Para garantir uma “tocada” previsível e responsiva, os engenheiros adotaram uma abordagem multifacetada, principalmente na condução em alta velocidade e em curvas. Maior rigidez da carroceria, direção eletrônica com suporte de cremalheira e forte sensação mecânica e pneus dianteiros mais largos ajudam a aumentar o desempenho nas curvas em até 13%. Os amortecedores dianteiros e traseiros usam um novo design monotubo com diâmetro maior do que os do 370Z, resultando em uma redução de 20% de impacto em superfícies irregulares, melhorando o desempenho e a estabilidade. A suspensão dianteira de duplo braço triangular de alumínio apresenta uma nova geometria, incluindo o caster (ângulo que se forma entre o pino mestre da roda em relação ao plano vertical visto de lado), colaborando na estabilidade em linha reta.

Leia Mais

Construtora leiloa automóveis e equipamentos em São Paulo

Dois modos de direção são oferecidos no novo Z: “Padrão” e “Esporte”. O primeiro é mais adequado para o dia a dia e em longas viagens. O segundo desbloqueia o potencial de desempenho do carro, oferecendo controle de aceleração mais rápido, sistema de direção mais esportiva, aprimoramento de som ativo e configuração de controle dinâmico de veículo em modo esportivo mais indicados para uma estrada sinuosa, por exemplo.

Macaque in the trees
O novo motor 3.0 V6 biturbo acrescenta um aumento na produção de energia em relação ao 370Z da geração anterior - Divulgação

Com 4,38 metros de comprimento, 1,84 metro de largura, apenas 1,32 metro de altura e 2,55 metros de distância de entre-eixos, com rodas de 18 polegadas, o novo esportivo tem um design exterior elegante e bem afinado com a sua linhagem histórica, com um capô longo, a “cara do Z”. O tema do estilo do Z de sétima geração é definido pela Nissan como “uma tradição com tecnologia moderna”. “Nossos designers ouviram milhares de proprietários atuais do Z, fizeram vários estudos e esboços enquanto pesquisávamos cada geração e o que a tornou um sucesso. No final das contas, decidimos que o Z deveria viajar entre as décadas, incluindo o futuro”, revelou Alfonso Albaisa, vice-presidente sênior Global de Design da Nissan.

Os projetistas utilizaram as tecnologias mais recentes para simplificar o design e incorporaram iluminação de leds para dar dimensão aos elementos. As luzes de circulação diurna têm dois semicírculos que remetem ao Fairlady 240ZG do mercado japonês dos anos 70. O “link” para o Z original é mais impressionante quando se vê o modelo de lado. A linha do teto flui da frente para a traseira quadrada para criar um perfil encontrado na primeira geração carro, com a parte de trás ligeiramente mais baixa do que a altura do para-lama dianteiro, dando ao Z sua postura única. A transição característica do vidro posterior para a posição rebaixada da traseira adiciona mais efeito. As lanternas combinadas incorporam tecnologia moderna ao estilo do clássico Z32 300ZX.

A cabine do novo Z combina a tecnologia moderna com toques vintage. O console central é inspirado nas gerações anteriores, com três medidores analógicos no painel de instrumentos, tela sensível ao toque de 8 polegadas no centro e botões de controle de temperatura perto das aletas de troca de marchas. A equipe de design de interiores buscou conselhos de lendas do automobilismo, como o japonês Tsugio Matsuda, piloto da Nissan Super GT500, para dar ao Z uma cabine de carro esportivo ideal para várias situações de direção. Isso pode ser observado na instrumentação, com todas as informações vitais encontradas no visor do medidor digital personalizável de 12,3 polegadas e dispostas para ajudar o motorista a visualizá-las rapidamente. O display do medidor de TFT de 12,3 polegadas é totalmente novo, com três modos de exibição para atender às preferências do motorista.

Galeria de Fotos

Comentários

Tops da Gazeta