últimas notícias
O presidente Jair Bolsonaro (PSL) publicou em sua conta oficial no Twitter um vídeo com conteúdo obsceno se referindo ao Carnaval
O presidente Jair Bolsonaro (PSL) publicou em sua conta oficial no Twitter um vídeo com conteúdo obsceno se referindo ao Carnaval
Foto: Alan Santos/PR

Oposição e aliados criticam Bolsonaro após publicação

VÍDEO obscenO. Opositores defenderam a necessidade de "intervenção psíquica" do presidente após publicação

Integrantes da oposição e aliados de Jair Bolsonaro (PSL) reagiram nesta quarta-feira às publicações obscenas feitas pelo presidente em uma rede social. Opositores defenderam a necessidade de "intervenção psíquica" e disseram que vão representar criminalmente por "crime de divulgação, sem o consentimento da vítima, de cena de sexo, nudez ou pornografia".

Aliado de Bolsonaro, o deputado Kim Kataguiri (DEM-SP) afirmou que a publicação é "incompatível com a postura de um presidente, ainda mais de direita", e a classificou como "bola fora".

"Há muitas boas razões para criticar o Carnaval, não faltam problemas que poderiam ser evidenciados e evitados. Isso não justifica mostrar uma obscenidade para milhões de famílias por meio de uma rede social sob o pretexto de criticar a festa. Isso não é postura de conservador", escreveu o parlamentar.

Um dia depois de ter compartilhado em sua conta oficial do Twitter um vídeo em que um homem aparece dançando após introduzir o dedo no próprio ânus e um outro rapaz surge urinando na cabeça do que dançava, Bolsonaro publicou na manhã desta Quarta-Feira de Cinzas uma pergunta: "O que é golden shower?"

"Acho que tem mais praticante do que pessoas que conhecem a terminologia", afirmou aos risos o líder do PSL no Senado, Major Olímpio (SP), sobre o fetiche de urinar na frente de um parceiro ou sobre ele.

O senador disse acreditar que a intenção de Bolsonaro era chamar a atenção "para essas coisas sem limites".

"O objetivo dele foi dizer que parcela da população perdeu seus limites morais, de cidadania. Vai muito no estilo Jair Bolsonaro de comunicação. Ele simplesmente vem mantendo o estilo de comunicação direta", afirmou Olímpio, para quem não houve quebra de decoro e as publicações não são uma cortina de fumaça para as críticas de que Bolsonaro foi alvo durante o Carnaval em várias cidades. O deputado Marcelo Freixo (PSOL-RJ), criticou o presidente na mesma linha. "Estamos diante de um quadro psiquiátrico grave e, politicamente, desastroso", afirmou.

PT.

O PT vai pedir que a Procuradoria-Geral da República investigue o presidente da República pela publicação. A informação é do deputado federal Paulo Teixeira (PT-SP). "Vamos representar Jair Bolsonaro pelo vídeo que postou. A lei 13.718, recentemente aprovada, tipifica o crime de divulgação, sem o consentimento da vítima, de cena de sexo, nudez ou pornografia", escreveu o parlamentar em sua conta na mesma rede social.
(FP e EC)

Tops da Gazeta