últimas notícias
A catedral de Notre-Dame, em Paris, foi gravemente desfigurada por um incêndio; os fogos atingiram a igreja na segunda-feira
A catedral de Notre-Dame, em Paris, foi gravemente desfigurada por um incêndio; os fogos atingiram a igreja na segunda-feira
Foto: CHRISTOPHE PETIT TESSON/ASSOCIATED PRESS

Doações para reconstruir Catedral já somam R$ 2,6 bi

As doações de companhias francesas e milionárias para financiar a reconstrução da Catedral de Notre-Dame em Paris, parcialmente destruída por um incêndio na noite de segunda-feira, ultrapassaram os 600 milhões de euros
(R$ 2,6 bilhões) nesta
terça-feira.

A empresa francesa de cosméticos, L'Oréal, dará 200 milhões de euros, um valor agregado aos 200 milhões doados pelo grupo LVMH e aos 100 milhões prometidos respectivamente pela família Pinault e pela petrolífera Total. O presidente da França, Emmanuel Macron, afirmou também nesta terça-feira,que a catedral de Notre-Dame será reconstruída em cinco anos.

Incêndio

A catedral, joia arquitetônica medieval e um dos pontos turísticos mais conhecidos de Paris, foi gravemente desfigurada por um incêndio.

Mais de 400 bombeiros impediram o colapso total da igreja, que começou a ser construída no século 12 e sobreviveu a guerras, a revoluções, à ação do tempo e ao ingresso de 13 milhões de turistas por ano. Uma investigação preliminar indica que o fogo começou de maneira acidental na catedral mais visitada do mundo.

Diante das chamas, os parisienses se reuniram nas margens do Rio Sena e sobre pontes para assistir, incrédulos, às chamas consumirem a catedral. Parte deles entoou a Ave Maria. Muitos choravam, enquanto o fogo se espalhava pelo prédio. Macron disse: "Parte de nós queimou com a catedral".

O ministro da Cultura Franck Riester disse que dois terços do telhado se perderam. "A princípio, o incêndio não é criminal. O fogo parece ter começado onde estavam os andaimes erguidos para restaurar a flecha que, acabou totalmente destruída".

O Vaticano disse ter ficado "chocado e triste com a terrível notícia sobre o símbolo da cristandade na França e no mundo" e apresentou sua solidariedade ao povo francês e as orações aos bombeiros e a todos que estão fazendo o possível para lidar com a situação. (EC)

Tops da Gazeta