últimas notícias
Nascido em 1943, Paulo Henrique Amorim trabalhou em jornais, revistas, TV e sites de notícias
Nascido em 1943, Paulo Henrique Amorim trabalhou em jornais, revistas, TV e sites de notícias
Foto: REPRODUÇÃO/FACEBOOK

Velório de Paulo Henrique Amorim acontece no Rio

O jornalista morreu na madrugada desta quarta-feira, vítima de infarto; o corpo será cremado no cemitério do Caju, no Rio

O velório do jornalista Paulo Henrique Amorim será realizado nesta quinta-feira, das 10h às 15h, na Associação Brasileira de Imprensa (ABI), no centro do Rio de Janeiro. O corpo será cremado no cemitério do Caju, também no Rio. O jornalista morreu na madrugada desta quarta-feira, aos 76 anos, vítima de infarto.

Atualmente na "Record", ele trabalhou em vários veículos de comunicação. Segundo a emissora, o jornalista passou mal em casa, no Rio de Janeiro. A suspeita é que tenha sofrido um infarto. Ele deixa uma filha e a mulher, a jornalista Geórgia Pinheiro.

Nascido em 1943 no Rio, Amorim trabalhou em jornais, revistas, TV e sites de notícias. Na televisão, tornou famoso o bordão "boa noite, boa sorte", com o qual se despedia do público. Com a característica voz aguda, iniciava suas aparições dizendo: "Olá, tudo bem?".

Amorim foi estagiário no jornal "A Noite" em 1961. Nos anos seguintes, foi repórter das revistas "Manchete" e "Realidade". Em 1972, recebeu o Prêmio Esso por uma reportagem sobre distribuição de renda, para a "Veja".

Em 1974, foi promovido a editor-chefe da revista "Exame". Depois, passou por cargos de direção no "Jornal do Brasil" (1976-1984) e na "TV Manchete" (1984).

De 1985 a 1996, trabalhou na "TV Globo", como repórter, apresentador e correspondente em Nova York. Na década de 1990, também colaborou com a "CNN". Depois de deixar a Globo, teve passagens pelas TVs "Bandeirantes" e "Cultura". No início dos anos 2000, comandou um programa no portal "UOL".

O jornalista estava na "Record" desde 2003. No mês passado, ele havia sido afastado no mês passado do Domingo Espetacular, mas continuava contratado do canal. Ele apresentava o programa havia 13 anos.

Em nota, a emissora informou naquele momento que ele ficaria "à disposição de novos projetos". Amorim também mantinha na internet o blog "Conversa Afiada", desde 2006, de conteúdo alinhado aos governos do PT nas gestões Lula e Dilma. (FP)

Tops da Gazeta