últimas notícias
O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), comandou a votação da reforma na quarta-feira
O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), comandou a votação da reforma na quarta-feira
Foto: FABIO RODRIGUES POZZEBOM/AGÊNCIA BRASIL

Senado pode votar reforma até setembro

Texto . Líder do governo quer votar reforma da Previdência no Senado até 5 de setembro

O líder do governo no Senado, Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), avalia que é possível encerrar a votação do texto da reforma da Previdência na Casa até 5 de setembro e também diz haver apoio dos senadores para inclusão de estados e municípios no projeto aprovado na Câmara dos Deputados.

Bezerra falou na manhã desta quinta-feira ao chegar ao Senado, um dia após o texto-base da PEC (proposta de emenda à Constituição) que muda as regras de aposentadoria ser aprovado com folga em primeiro turno no plenário da Câmara dos Deputados. Foram 379 votos a favor das alterações e 131
contrários.

Para Bezerra, é viável concluir a votação no Senado até 5 de setembro. "Eu acho que o prazo máximo é 45 dias. Meu palpite, 5 de setembro".

Ele diz ainda que é possível que o Senado inclua estados e municípios na proposta, como desejava inicialmente o governo. "É a mesma PEC, só que você vai incluir estados e municípios, essa é nossa expectativa", afirma, acrescentando que há "muito apoio" na Casa nesse sentido.

Quando o projeto terminar de ser votado no Senado, vai para promulgação, porque o presidente do Congresso, Davi Alcolumbre (MDB-AP), deve fatiar o texto. Desta forma, seria possível promulgar apenas o projeto votado na Câmara, enquanto a parte alterada pelo Senado voltaria para os deputados, iniciando uma tramitação em comissões que levaria uns 90 dias na Câmara, nas contas do senador.
(FP)

Tops da Gazeta