últimas notícias

Câmara avaliará impacto da reforma dos militares

O relator do projeto de reforma da Previdência dos militares e restruturação de carreiras das Forças Armadas, deputado Vinicius Carvalho (PRB-SP), disse, nesta
quarta-feira, que, ao estudar alterações na proposta, irá considerar o efeito das medidas nas contas públicas.

"Chegou a hora de nós aqui fazermos o debate necessário para podermos fazer justiça para aqueles que mesmo sem conhecermos estão resguardando a segurança nacional".

O deputado, contudo, não quer reduzir significativamente o resultado da reforma para a economia de gastos públicos.

"Nós não abriremos mão de observar as questões de impacto porque é nossa responsabilidade como representante do povo brasileiro e cuidarmos desse assunto que envolvem as Forças Armadas também é nosso dever".

O texto prevê uma economia de R$ 10,45 bilhões em 10 anos -cerca de 1% do valor previsto com as mudanças na Previdência de civis. A reforma para o setor público e a iniciativa privada deve poupar R$ 933,5 bilhões em uma década, segundo projeção do governo.

Instalada nesta quarta, a comissão que analisará o assunto é formada por deputados que representam os interesses da categoria. O colegiado é presidido pelo deputado José Priante (MDB-PA).

O projeto foi enviado pelo presidente Jair Bolsonaro em março e só foi destravado agora, em agosto, após a Câmara concluir a aprovação do endurecimento das regras de aposentadoria e pensões para trabalhadores da iniciativa privada e serviço público.

O projeto de lei para as Forças Armadas propõe endurecer regras para que os militares entrem na reserva e aumentar a tributação para essas carreiras.
(FP)

Tops da Gazeta