últimas notícias
O presidente reafirmou a ideia de que apenas pessoas com mais de 65 anos devem ficar isoladas
O presidente reafirmou a ideia de que apenas pessoas com mais de 65 anos devem ficar isoladas
Foto: Reprodução/GloboNews

Bolsonaro reage a críticas após quebrar isolamento social

O presidente quebrou o isolamento social ao sair pelas ruas de Brasília e reunir aglomerações

Após ter saído e visitado estabelecimentos na manhã deste domingo (29), Bolsonaro recebeu diversas críticas por ter ido contra recomendações do ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta e da Organização Mundial da Saúde. A presença de Jair Bolsonaro reuniu aglomerações em diversos lugares.

Bolsonaro disse que o objetivo era “ver o povo, e não passear”, que se preocupa com os efeitos da pandemia de coronavírus na economia.

Nesta segunda-feira (30), ao falar com apoiadores em frente ao Palácio da Alvorada, ele escutou apelos para manter Mandetta no cargo de ministro da saúde. Com ironia, Bolsonaro revelou estar trabalhando nos impactos na economia, mas que para o problema se resolver, seria necessário trocar o presidente da República.

"Parece que o problema é o presidente. É que o presidente tem responsabilidade, tem que decidir. Não é apenas a questão de vida, é a questão da economia também, a questão do emprego. Se o emprego continuar sendo destruído da forma como está sendo, mortes virão outras por outros motivos", declarou.

Ao ser questionado sobre a decisão do presidente dos Estados Unidos, Bolsonaro disse que o “Brasil é diferente de qualquer outro país”.

O presidente reafirmou a ideia de que apenas pessoas com mais de 65 anos devem ficar isoladas. "O que eu tenho conversado com o povo: eles querem trabalhar. É o que eu tenho falado desde o começo. Vamos tomar cuidado, a partir dos 65 fica em casa...", acrescentou o presidente.

Comentários

Tops da Gazeta