últimas notícias
Presidente afirmou que assinará novos decretos incluindo outros serviços na lista de essenciais
Presidente afirmou que assinará novos decretos incluindo outros serviços na lista de essenciais
Foto: Marcos Corrêa/PR

Em reunião de última hora, Bolsonaro afirma que assinou decreto para ampliar serviços essenciais

Bolsonaro atravessou a Praça dos Três Poderes a pé e participou de uma reunião com ministros e empresários no STF; Bolsonaro informou que assinará mais decretos ampliando a lista de serviços essenciais

Na tarde desta quinta-feira (7), o presidente Jair Bolsonaro realizou uma reunião de última hora com um grupo de empresários e ministros. O presidente se reuniu com o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, e fez um apelo para que as restrições adotadas pelos estados sejam amenizadas.

O STF já determinou que os prefeitos e governadores têm autônima para decidir quais medidas adotar no combate ao novo coronavírus. Toffoli sugeriu que as ações sejam coordenadas entre União, estados e municípios.

No STF, Bolsonaro permaneceu por cerca de 50 minutos. O presidente disse que assinou um decreto para ampliação de atividades essenciais durante a pandemia.

O presidente realizou uma transmissão ao vivo da reunião. No discurso, ele afirmou que o efeito colateral do combate ao coronavírus "não pode ser mais danoso que a própria doença".

"O objetivo da nossa vinda aqui, nós sabemos do problema do vírus, que devemos ter todo cuidado possível, preservar vidas, em especial daqueles mais em risco, mas temos um problema que vem cada vez mais nos preocupando: os empresários trouxeram essas aflições, a questão do desemprego, a questão da economia não mais funcionar. O efeito colateral do combate ao vírus não pode ser mais danoso que a própria doença", declarou.

O presidente alegou que os empresários estão preocupados com um possível colapso da economia.

"Chegou a um ponto que a economia fica muito difícil de recuperar. Nós, chefe de poderes, temos que decidir. O Toffoli sabe que, ao tomar decisão, de um lado ou de outro, vai sofrer crítica", disse Bolsonaro.

Na reunião, Jair Bolsonaro informou que um novo decreto foi assinado. No documento, assinado por ele, amplia os serviços essenciais durante a quarentena.

Neste decreto, ele afirmou que incluiu a construção civil na lista. Entretanto, ainda não foi publicado no “Diário Oficial da União”.

Ainda de acordo com o presidente, ele assinará novos decretos incluindo outros serviços na lista de essenciais, com o objetivo de acelerar a volta da economia.

"Vamos começar a colocar mais categorias essenciais para nós podermos abrir com responsabilidade e observando as normas do Ministério da Saúde, de modo que cada vez mais rápido nós possamos voltar à atividade normal", disse Bolsonaro.

Comentários

Tops da Gazeta