últimas notícias
O projeto foi apresentado após o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) rejeitar o bloqueio judicial do benefício durante a pandemia no Brasil
O projeto foi apresentado após o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) rejeitar o bloqueio judicial do benefício durante a pandemia no Brasil
Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

Caixa não libera novos créditos desde 30 de abril

A Caixa Econômica Federal completou duas semanas sem liberar novos créditos do Auxílio Emergencial; calendário de pagamento da segunda e terceira parcela também não foi divulgado

Nesta quinta-feira (14), a Caixa Econômica Federal, responsável pelo pagamento do Auxílio Emergencial, completa duas semanas sem liberar novos créditos. O último balanço divulgado nesta quarta-feira (13) mostrava que R$ 35,5 bilhões foram creditados a 50 milhões de brasileiros – mesmos dados informados no dia 30 de abril.

Milhões de brasileiros que aguardam o benefício não possuem a certeza de quando irão receber. Até esta quinta-feira, as datas para a segunda e a terceira parcela do pagamento também não foram divulgadas pelo Ministério da Cidadania. Aqueles que possuem o Bolsa Família têm data para receber, pois os pagamentos seguem o calendário do programa.

Na última segunda-feira, o vice-presidente de varejo da Caixa Econômica Federal, Paulo Henrique Angelo, afirmou que o banco aguardava o calendário ser divulgado pelo governo federal.

PEDIDOS.

A Dataprev é a empresa pública responsável por identificar os elegíveis ao Auxílio Emergencial. É a partir dessa avaliação que o banco libera os pagamentos. Até o final de abril, 96,9 milhões de CPFs foram analisados.

Nesta quarta-feira (13), a empresa informou que deveria entregar o resultado de mais 14 milhões análises no mesmo dia. De acordo com a Dataprev, os dados processados são novos cadastros e complementações cadastrais (os refeitos por serem inconclusivos) realizados entre os dias 23 e 30 de abril.

Desses, 50,52 milhões estavam elegíveis ao Auxílio, totalizando 52,1% do total. 27,2 milhões (20,5%) não estavam aptos, ou seja, não poderão receber os R$ 600. Outros 13,6 milhões (15,2%) tiveram a análise inconclusiva, ou seja, precisam complementar o cadastro.

A Dataprev trabalha em conjunto com o Ministério da Cidadania. A Caixa Econômica desenvolveu o aplicativo e efetua o pagamento.

Comentários

Tops da Gazeta