últimas notícias
Segurados que buscaram atendimento nas agências do INSS de SP encontraram agências fechadas na última semana
Segurados que buscaram atendimento nas agências do INSS de SP encontraram agências fechadas na última semana
Foto: Aloisio Mauricio/Fotoarena/Folhapress

Agências do INSS reabrem, mas perícias são suspensas

No estado de São Paulo a reabertura das agências foi suspensa pela Justiça; nas agências que reabriram houve fila e reclamações de segurados

Após quase 6 meses, o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) começou a retomar, nesta segunda-feira (14), o atendimento presencial em parte de suas agências, porém os médicos não retornaram e todas as perícias médicas agendadas foram suspensas. A situação causou muita reclamação dos segurados e longas filas na porta das agências em várias cidades do País.

Para remarcar a perícia, um dos serviços que haviam sido considerados prioritários na reabertura das agências, os segurados devem fazer a remarcação pelo Meu INSS ou pelo telefone 135.

Já no estado de São Paulo, a reabertura das agências nesta segunda foi cancelada pela Justiça, após os servidores ingressarem com ação judicial pedindo suspensão da medida. Em sua defesa, os funcionários alegaram não haver segurança sanitária para retomar o atendimento. Sem saber da decisão, centenas de segurados que buscaram atendimento nas agências do INSS na capital paulista, Grande SP e Interior se depararam com os locais fechados.

O INSS alega que avisou os beneficiários com agendamento por meio de SMS, e-mail e pelo portal ‘Meu INSS’ sobre a não reabertura, mas o aviso não surtiu o efeito esperado, muitos não viram o recado e outros podem estar com o cadastro desatualizado. O instituto informou que as agências seguirão fechadas após a decisão judicial e que "os segurados que tinham agendado atendimento devem desconsiderar e proceder com a remarcação pelo telefone 135 ou pelo Meu INSS."

Na manhã desta segunda, em entrevista à “Globo News”, o presidente do INSS, Leonardo Rolim, pediu paciência aos segurados que foram até as agências e não conseguiram atendimento. Sobre as agências fechadas em São Paulo, Rolim afirmou que o instituto já recorreu da decisão. "Nós já recorremos, deixando claro que INSS é uma atividade essencial, que nós temos obrigação de atender as pessoas”, disse.

Antecipação

Desde março, quando o atendimento presencial foi suspenso, o INSS informou que foram concedidas antecipações de 186 mil benefícios de Prestação Continuada (BPCs), pago a pessoas com deficiência, e 876 mil antecipações de auxílios-doença. Ainda segundo a autarquia, o governo reduziu a quantidade de requerimentos que estavam sob análise do INSS desde o início da pandemia.

Em junho do ano passado, quando a fila de requerimentos que dependiam de um parecer da autarquia chegou ao ápice, havia um total de 2,32 milhões de pedidos em análise. Em janeiro desse ano, a fila tinha caído 1,635 milhão. No início da pandemia, em março, quando o INSS fechou o atendimento ao público, houve uma nova redução, para 1,30 milhão. Hoje, essa fila está em 758 mil.

Apesar da redução do número de requerimentos sob análise do INSS, aumentou a quantidade de requerimentos em exigência, que são aqueles que dependem de uma informação complementar ou documento por parte do segurado. Atualmente, esses requerimentos somam 906 mil na fila.

Comentários

Tops da Gazeta