últimas notícias
De 8.368 cursos avaliados, 510 atingiram a maior nota; na foto, campus da UFRJ, no Rio de Janeiro
De 8.368 cursos avaliados, 510 atingiram a maior nota; na foto, campus da UFRJ, no Rio de Janeiro
Foto: Acervo Coordcom/UFRJ

Universidade federais representam 67% das notas máximas no Enade

Em 2019, o exame avaliou o conhecimento de cursos nas áreas de ciências agrárias, ciências da saúde, engenharias, arquitetura e urbanismo

 

O índice do Conceito Enade divulgado nesta terça-feira (20) mostra que dos 510 cursos de graduação que receberam a nota máxima, 67% são de universidades federais (instituições que devem sofrer corte de R$ 994,6 milhões em 2021).

Do percentual, 18% são de universidades privadas (com ou sem fins lucrativos), 14,5%, de estaduais, e 0,5%, de municipais. O levantamento foi divulgado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) e mede a qualidade dos cursos com base no desempenho dos alunos no Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade).

Em 2019, o exame avaliou o conhecimento dos alunos que estavam preste a se formar nas áreas de ciências agrárias, ciências da saúde, engenharias, arquitetura e urbanismo; e nos cursos tecnológicos de ambiente e saúde, produção alimentícia, recursos naturais, área militar e segurança.

De 8.368 cursos avaliados, 510 atingiram a maior nota - que varia de 1 a 5. O desempenho dos estudantes reflete na nota final das instituições. De 1.426 instituições, as federais, 23,9% receberam a nota 5. No caso das privadas, 1,4% de 6.360 obtiveram a avaliação máxima.

"Os resultados são relativos. Houve uma grande expansão do ensino privado nos últimos anos. É preciso agora trabalhar a questão relativa à qualidade", disse o presidente do Inep, Alexandre Lopes, durante a coletiva de imprensa.

Corte no orçamento

De acordo com a Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes), o Ministério da Educação (MEC) pretende cortar R$ 994,6 milhões do orçamento de universidades e institutos federais de ensino em 2021, valor equivalente a uma redução de 17,5% das despesas "não obrigatórias" (discricionárias).

As despesas discricionárias são direcionadas ao pagamento de contas de água, luz e telefone; funcionários e de serviços terceirizados; obras; e; programas de assistência estudantil.

Já as despesas obrigatórias, que não podem ser cortadas, são para o pagamento de salários e de aposentadorias de professores. Contudo, o valor ainda pode ser alterado até a aprovação do orçamento final.

Enade

O Enade utiliza dois critérios de avaliação: prova sobre os conteúdos e habilidades desenvolvidos durante a graduação, com questões de formação geral (8 testes e 2 discursivas) e de conhecimentos específicos (27 testes e 3 discursivas) e questionário de perfil dos alunos.

Galeria de Fotos

Comentários

Tops da Gazeta