últimas notícias
Deputado federal Arthur Lira (PP-AL)
Deputado federal Arthur Lira (PP-AL)
Foto: Luis Macedo/Câmara dos Deputados

A disputa esquenta

O Guri do Planalto informa tudo que acontece Direto de Brasília

A última semana antes das eleições para eleger os presidentes da Câmara dos Deputados e do Senado Federal promete ser de fortes emoções. O Governo Federal entrou com tudo para apoiar Arthur Lira (PP-AL) na Câmara dos Deputados e Rodrigo Pacheco (DEM-MG) no Senado Federal. O Governo Federal está oferecendo cargos para os parlamentares apoiarem e votarem em seus candidatos e retirando cargos daqueles que apoiam outros. O famoso “toma lá, dá cá” que Bolsonaro tanto prometia combater. Ainda não dá pra prever quem serão os vencedores, o voto é secreto e como diz um deputado experiente “na hora do voto secreto, o que mais tem é traição”. O principal medo do Governo Federal é que em caso de vitória de Baleia Rossi (MDB-SP) seja aberto um processo de impeachment contra o Presidente.

Decidido.
A Mesa Diretora da Câmara dos Deputados decidiu essa semana que a eleição para o comando da Casa será presencial para todos os deputados – sem possibilidade de votação remota para os deputados do grupo de risco – e acontecerá no dia 1º de fevereiro à noite.

De mala e cuia.
De saída do comando do Senado, os parlamentares ligados ao Governo já dão como certo a ida de Davi Alcolumbre para um ministério do Governo Bolsonaro até meados de fevereiro.

Manifestações.
Grupos de direita e esquerda convocaram para este final de semana diversas carreatas contrárias ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e a pauta é única: o Impeachment de Bolsonaro. As manifestações começaram a preocupar o presidente e seus aliados, bem como sua queda de popularidade nas pesquisas. “Se Deus quiser, eu termino meu mandato” disse o presidente.

Governo de São Paulo.
O ex-ministro da Educação, Abraham Weintraub, vem se mostrando animado para disputar o Governo do estado de São Paulo, aliados dão quase como certo que ele entrará na disputa. Adversários que não acreditam nessa possibilidade, brincam que ele deveria fazer um curso de português antes de entrar na disputa, em razão dos diversos erros de ortografia cometidos quando era ministro da Educação.

Demissões de ministros.
Bolsonaro ainda resiste, mas o “centrão” já pleiteia a demissão do General Eduardo Pazuello do Ministério da Saúde. O grupo pretende indicar o deputado Ricardo Barros para o ministério. Cargo que ele já ocupou no governo Temer. Mais “toma lá, dá cá”. Outro pressionado que pode ser demitido em breve é o Ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araujo.

Linha dura.
O líder do PSL no Senado, Major Olímpio, cobrou de Aras abertura de inquérito contra Pazuello. Em documento, o senador apresentou diversas más condutas operadas pelo titular da pasta da saúde. “Essas latentes ilegalidades conduziram ao agravamento dos efeitos da pandemia, gerando milhares de mortos no País”.

“Não é furar fila, é criar uma fila nova que vai desafogar a fila principal”
Deputado Paulo Ganime, do Novo, em discurso em defesa da vacina contra o coronavírus paga.

Comentários

Tops da Gazeta