últimas notícias

Senador Giordano defende investigações de municípios na CPI da Covid

CPI foi instalada na tarde desta terça-feira (27) e investigará ações e omissões do governo federal no enfrentamento da pandemia do coronavírus

O senador Alexandre Giordano (PSL-SP) diz ser a favor da CPI da Covid (Comissão Parlamentar de Inquérito), que investigará ações e omissões do governo federal no enfrentamento da pandemia do coronavírus, também chegue aos estados e municípios. A CPI foi instalada na tarde desta terça-feira (27) e terá o senador Omar Aziz (PSD-AM) como presidente, e Randolfe Rodrigues (Rede-AP), vice-presidente.

“Pau que dá em chico também dá em Francisco. Temos que ter uma investigação ampla e que investigue desde o governo federal até os municípios. É preciso acompanhar o rastro de todas as ações que partiram da esfera federal, passaram pelos estados e chegaram até as cidades”, disse em entrevista a Gazeta, o senador Alexandre Giordano. O político substituiu Major Olímpio, também do PSL, que morreu no dia 18 de março, vítima da Covid-19.

Leia mais: 

Ainda de acordo com Giordano, ele trabalhará para que a CPI investigue a utilização dos recursos federais. “Eu posso recomendar que algumas cidades, principalmente do estado de São Paulo, sejam convocadas para que explique os gastos de recursos federais durante a pandemia. Estaremos abertos para receber denúncias”, complementou o senador.

CPI DA COVID

O senador Omar Aziz (PSD-AM), eleito presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid no Senado, defendeu, em seu primeiro discurso à frente da comissão, que os trabalhos sejam conduzidos de maneira “transparente” e “técnica” e afastado do embate político.

O Senado Federal instalou a CPI da Covid nesta terça-feira (27). A comissão pretende apurar ações e omissões do governo federal e eventuais desvios de verbas federais enviadas aos estados para o enfrentamento da pandemia. Aziz recebeu oito dos 11 votos para assumir o comando do colegiado.

“Não dá para discutir questões políticas em cima de quase 400 mil mortos, eu não me permito fazer isso. Eu não me permito porque, infelizmente, eu perdi um irmão há 50 dias e eu não viria para uma CPI dessas querendo puxar por um lado contra outro. Não haverá prejulgamento pela minha parte”, reforçou.

Aziz, assim que eleito, ignorou os apelos e indicou Renan Calheiros (MDB-AL) para a relatoria da CPI, conforme já estava definido em acordo firmado entre senadores independentes e de oposição.

DEFESA DO GOVERNO.

Após fazer uma ampla defesa da atuação do governo federal, cuja as ações no combate à pandemia são o principal alvo da CPI, o líder do governo no Senado, Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), afirmou que o governo não teme as investigações e assume o compromisso de oferecer a sua contribuição com transparência e fornecendo todas as informações necessárias para a apuração dos fatos, “sem perder de vista o interesse público, que deve nortear o roteiro de trabalho a ser seguido por esta CPI”.

Bezerra disse ainda que está convencido de que o julgamento das ações de enfrentamento “da maior crise sanitária da história revelará a lisura da conduta do governo, e, à luz dos fatos, ficará comprovado que nenhum ato doloso de omissão foi cometido no combate à pandemia”.

POSSE DE GIORDANO

Alexandre Giordano tomou posse do cargo na tarde do dia 31 de março. No discurso, Giordano exaltou a memória de Major Olímpio e falou em dedicar seu mandato à causa da igualdade social. “O Brasil perdeu um grande político, um grande estadista, [que] nos deixou um grande legado.”

Macaque in the trees
JEFFERSON RUDY/AGÊNCIA SENADO - Alexandre Giordano tomou posse do cargo na tarde do dia 31 de março

Em seguida, o senador lembrou ter passado parte da sua vida como um vendedor ambulante na Rua 25 de Março, em São Paulo, e, assim, ter visto “de perto a ausência do Estado”. A 25 de Março é conhecida como o maior centro popular de compras da capital paulista.

“Eu sei o quanto é importante o atendimento à população mais carente. Vou trabalhar sempre pelo melhor para o Brasil, para São Paulo. As pautas de interesse da população são as minhas pautas. Defenderei a igualdade social, os projetos sociais terão atenção neste mandato que início hoje”, disse Giordano.

Assumindo o mandato de Major Olímpio, eleito em 2018, o empresário ocupará uma cadeira no Senado até 2026.

Galeria de Fotos

Comentários

Tops da Gazeta