últimas notícias
Projeto que presidente quer barrar permite atividades de cultivo, processamento e pesquisa
Projeto que presidente quer barrar permite atividades de cultivo, processamento e pesquisa
Foto: marcelo camargo/agência brasil

'Maconha pode, cloroquina não pode', diz Bolsonaro sobre projeto na Câmara

Presidente disse a apoiadores que ele barraria um projeto que libera o cultivo de maconha por empresas para fabricação de medicamentos caso seja aprovado

O presidente Jair Bolsonaro comparou nesta segunda-feira (17) maconha à cloroquina ao dizer a apoiadores que ele barraria um projeto que libera o cultivo de maconha por empresas para fabricação de medicamentos caso seja aprovado. "Isso é com o Parlamento. Se chegar a mim, eu veto", disse Bolsonaro ao ser questionado por um apoiador no cercado armado no jardim do Palácio da Alvorada. A interação foi transmitida por um canal bolsonarista.
Bolsonaro, então, fez, em tom de ironia, a comparação entre a maconha medicinal e a cloroquina, remédio que, assim como a hidroxicloroquina e a ivermectina, não tem comprovação científica de que funciona para tratar ou prevenir a Covid-19.

"Engraçado, maconha pode, cloroquina não pode", afirmou Bolsonaro, para quem "a esquerda sempre paga uma oportunidade para querer liberar as drogas".
Uma apoiadora fala da ivermectina, ironizando que o medicamento faz mal. "Maconha e cocaína faz [sic] bem, sem problema", disse Bolsonaro, novamente em tom irônico. O presidente tem feito críticas reiteradas ao projeto de lei nº 399, de 215, que tramita em uma comissão especial na Câmara.
"Hoje, uma comissão da Câmara vota a liberação da maconha. Tem o veto depois, é difícil. Eles agora podem até aprovar, sem ser o voto nominal, mas tem o veto", afirmou Bolsonaro, em conversa com apoiadores no Palácio da Alvorada no dia 11 de maio. "Ridículo até né, um país com tantos problemas [e] o 'cara' despendendo força para votar uma porcaria de um projeto desse."

A proposta permite atividades de cultivo, processamento, pesquisa, armazenagem, transporte, produção, industrialização, manipulação, comercialização, importação e exportação de produtos à base de Cannabis. O texto, porém, diz expressamente que "é vedada a prescrição, a dispensação, a entrega, a distribuição e a comercialização para pessoas físicas, de chás medicinais ou de quaisquer produtos de cannabis sob a forma de droga vegetal da planta, suas partes ou sementes, mesmo após processo de estabilização e secagem".

Galeria de Fotos

Comentários

Tops da Gazeta