últimas notícias
 Ex-ministro esteve no passeio de motocicleta realizado por Bolsonaro
Ex-ministro esteve no passeio de motocicleta realizado por Bolsonaro
Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil

Exército decide não punir Pazuello por participação em ato com Bolsonaro

Exército informou que decidiu não punir o general pela participação em evento político com o presidente Jair Bolsonaro no Rio, em 23 de maio

Nesta quinta-feira, o Exército Brasileiro informou que decidiu não punir o general e ex-ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, pela participação em um evento político com o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) no Rio de Janeiro, em 23 de maio último.

"Acerca da participação do General de Divisão Eduardo Pazuello em evento realizado na Cidade do Rio de Janeiro, no dia 23 de maio de 2021, o Centro de Comunicação Social do Exército informa que o Comandante do Exército analisou e acolheu os argumentos apresentados por escrito e sustentados oralmente pelo referido oficial-general. Desta forma, não restou caracterizada a prática de transgressão disciplinar por parte do General Pazuello. Em consequência, arquivou-se o procedimento administrativo que havia sido instaurado", diz a nota assinada pelo Centro de Comunicação Social do Exército.

No ato no Rio, o general chegou de máscara, mas apareceu sem o equipamento de proteção em cima do trio elétrico. Ele foi exaltado pelo presidente. “Esse é o gordo do bem. É o gordo paraquedista. O nosso ministro conduziu com muita responsabilidade (a pasta)”, disse Bolsonaro, abraçando o aliado. Pazuello fez coro e cumprimentou os apoiadores do mandatário.

Em sua defesa, Pazuello disse não ter participado de um ato político ao lado de Bolsonaro no dia 23 de maio. Segundo ele afirmou, na justificativa, foi convidado pelo presidente para um passeio de moto, quando foi surpreendido com o pedido para subir em um carro de som, ao lado do chefe do Executivo.

Na última terça-feira (1º), Pazuello foi nomeado como secretário de Estudos Estratégicos da Secretaria Especial de Assuntos Estratégicos da Presidência da República.

Comentários

Tops da Gazeta