X

ELEIÇÕES 2022

Alexandre Moraes diz que TSE pode cassar registro de candidato que divulgar fake news

Segundo o ministro, uma jurisprudência do Tribunal abriu caminho para enquadrar o uso malicioso das plataformas digitais como 'abuso de meio de comunicação'

Davi Medeiros, do Estadão Conteúdo

Publicado em 01/06/2022 às 14:39

Atualizado em 01/06/2022 às 14:44

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

Alexandre de Moraes / Antonio Cruz/Agência Brasil

O ministro Alexandre de Moraes, que é vice-presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e estará à frente da Corte durante as eleições deste ano, afirmou que o Tribunal poderá cassar o registro de candidatos que compartilhem informações falsas sobre a disputa eleitoral nas redes sociais.

Segundo o ministro, uma jurisprudência do Tribunal abriu caminho para enquadrar o uso malicioso das plataformas digitais como "abuso de meio de comunicação", o que pode servir de justificativa para a anulação de uma candidatura. "Notícias fraudulentas divulgadas por redes sociais que influenciem o eleitor acarretarão a cassação do registro daquele que a veiculou", afirmou.

Dirigindo-se a diplomatas de outros países, Moraes disse que a Justiça Eleitoral brasileira está "preparada para combater as milícias digitais" este ano. A Corte tem fechado o cerco contra supostas organizações que financiam o compartilhamento em massa de informações maliciosas sobre eleições. No Supremo Tribunal Federal (STF), Moraes está à frente do inquérito que investiga a existência desses grupos e suas possíveis influências no pleito de 2018.

Falando sobre a estabilidade das instituições, o ministro argumentou que o TSE tem "respondido à altura" aos desafios da era digital para assegurar que as eleições de outubro ocorram de forma ordenada. "Aqueles que se utilizarem desses instrumentos (disparos de notícias falsas) podem ter o registro de suas candidaturas cassado, ou mesmo perder o mandato", afirmou.

As declarações foram feitas nesta terça-feira, 31, durante o encerramento de um evento voltado para diplomatas no auditório do TSE. A sessão teve a presença de representantes de 68 países, do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud) e da Transparência Eleitoral Brasil. Os participantes assistiram a apresentações sobre o pleito no Brasil e o sistema eletrônico de votação.

 

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

CARRO DE LUXO E EMBRIAGUEZ

Motorista com sinais de embriaguez atropela e mata criança no interior

Motorista dirigia uma BMW no acidente; sujeito foi preso preventivamente

Lote Alto Tietê

Audiência confirma construção de estação de trem em Mogi das Cruzes até 2030

Na última sexta, ocorreu a última audiência pública para discutir detalhes da concessão das linhas 11-Coral, 12-Safira e 13-Jade da CPTM

©2021 Gazeta de São Paulo. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software

Newsletter