X

chuvas no Sul

Arroz importado será subsidiado pelo governo e custará até R$ 20

Na primeira fase, serão importadas cem mil toneladas de arroz, descascado e empacotado por países do Mercosul

Yasmin Gomes

Publicado em 14/05/2024 às 17:59

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

Publicidade

O arroz a ser importado, vai custar ao consumidor final no máximo R$ 20 / Aline Fonseca/Gazeta de S.Paulo

O Governo Federal pretende importar cerca de uma tonelada de arroz para evitar aumento de preços por conta das chuvas no Rio Grande do Sul, estado responsável por 70% da produção nacional do cereal.

Siga a Gazeta nas redes sociais e mantenha-se bem informado!

O arroz a ser importado vai custar ao consumidor final no máximo R$ 20, o pacote de 5 quilos. A importação tem como finalidade garantir a manuteção dos preços no mercardo interno.

Segundo estimativas, para assegurar esse valor, o governo deverá conceder, em média, subsídio de R$ 5. Os R$ 20 por pacote já consideram a margem de venda para pequenos comerciantes, mercados e mercearias, para quem o arroz será vendido.

Siga as notícias da Gazeta de S.Paulo no Google Notícias

Importação do Mercosul

Na primeira fase, serão importadas cem mil toneladas de arroz, descascado e empacotado por países do Mercosul, que têm isenção tributária.

A maior parte deve vir do Paraguai, que já é o maior vendedor de arroz ao Brasil. O texto conta com informações do Extra.

O governo vai publicar dois editais, um para que a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) possa importar o produto e outro para distribuição.

Grandes redes não precisam de apoio, avalia o governo. Empresas privadas já estão trazendo arroz de países como a Tailândia.

Antes das chuvas no RS, os preços do arroz ensaiavam uma queda nos supermercados, após sete meses seguidos de alta. Este ano, até abril, o cereal registrou aumento de 7,21%, segundo a pesquisa mensal de inflação do IBGE.

Produção nacional

O Rio Grande do Sul responde por 70% da produção de arroz no país. Grande parte da safra já havia sido colhida antes da tragédia climática, mas o impacto sobre os armazéns e as dificuldades de escoar a produção do estado para o resto do país pode afetar os preços nos próximos meses.

A produção no país é muito ajustada ao seu consumo, em torno de dez milhões de toneladas por ano. Ou seja, em situações normais, o Brasil quase não compra arroz do exterior.

*Texto sob supervisão de Diogo Mesquita

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Oportunidade em Guarulhos

Feira de empregos: prefeitura e institutos devem oferecer 200 vagas em evento

Para participar dos processos seletivos é necessário levar um documento de identificação original e o currículo atualizado

Colheita de café em SP

Colheita de café no maior cafezal urbano do mundo reúne famílias em São Paulo

Evento marcou a abertura oficial da safra do café, que prossegue até a primavera, distribuindo sabores, aromas, colorido e riquezas por todo o Estado   

©2021 Gazeta de São Paulo. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software

Newsletter