Publicidade

X
ELEIÇÕES 2022

Bolsonaro: Lula na Presidência é 'recondução do criminoso à cena do crime'

O presidente disse ainda que seus adversários planejam 'roubar a liberdade'

Publicidade

Bolsonaro / MARCELO CAMARGOAGÊNCIA BRASIL

Jair Bolsonaro (PL) afirmou nesta quarta-feira (12) que caso ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) seja eleito ao Executivo Federal neste ano isso significaria "reconduzir criminoso à cena do crime", e que seus adversários planejam "roubar a liberdade". 

"Querem reconduzir à cena do crime o criminoso, juntamente com Geraldo Alckmin? É isso que queremos para o nosso Brasil?", questionou Bolsonaro, dizendo que chega a três anos de governo, com dois "em mar revolto", por conta da pandemia. 

O chefe do Executivo cita a virtual aliança entre ex-tucano e petista, sem mencionar Lula diretamente. 

A declaração ocorreu durante evento de lançamento de linhas de crédito para Aquicultura e Pesca no Palácio do Planalto. 

Bolsonaro está pressionado por chegar no ano de sua reeleição ainda em cenário de pandemia, com rejeição alta e economia patinando. 

Pesquisa Datafolha divulgada em dezembro mostra que, num cenário de primeiro turno, o ex-presidente tem 48% de intenção de votos no 1º turno, seguido de Bolsonaro (22%), Sergio Moro (9%) e Ciro Gomes (7%). 

O presidente disse não ter provas, mas voltou a falar que o ex-presidente está oferecendo ministérios em troca de apoios. "Não tenho provas, mas vou falar. Como é que aquele cidadão está conseguindo apoios, apesar de uma vida pregressa imunda? Já loteando ministérios." 

Em entrevista recente, Bolsonaro disse que o comando da Caixa Econômica estaria em negociação pelo adversário e líder nas pesquisas. 

Ainda que demonstre incômodo com suposto loteamento de ministérios, o presidente teve de abrigar aliados na Esplanada no último ano para contornar crise política. 

Com mais de cem pedidos de impeachment no Congresso, o presidente se aliou a partidos do centrão que outrora foram seu principal alvo: PL, PP e Republicanos. 

No final do ano passado, escolheu para concorrer à reeleição o partido de Valdemar Costa Neto, ex-aliado de Lula, condenado e preso no mensalão. 

"A maioria de vocês que trabalham comigo poderiam estar muito bem aí fora, mas estão aqui dando sua cota de sacrifício, ajudando esse Brasil aqui realmente vencer a crise que se encontra no momento e fazendo com que não volte para a mão de bandidos, canalhas, que ocupavam esse espaço aqui pra assaltar o país, por um projeto de poder, cujo ato final seria roubar nossa liberdade", disse ainda o presidente.

Deixe a sua opinião

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Turismo

5 curiosidades da Ilha de Fernando de Noronha que você não sabia

As praias mais bonitas do mundo, no Nordeste do Brasil, escondem curiosidades que ninguém imagina

Disputa judicial

Igreja aciona Justiça após prefeitura de Caçapava construir área de lazer em terreno privado

Gestão municipal instalou uma academia ao ar livre em um terreno de 16 mil metros quadrados que pertence à Diocese de Taubaté

©2021 Gazeta de São Paulo. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software