X

falta de planejamento e desgaste

Brasil tem o segundo pior asfalto do mundo

O país também ocupa a segunda posição entre os piores países para se dirigir

Yasmin Gomes

Publicado em 21/06/2024 às 18:30

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

A má qualidade do asfalto não está relacionada a má qualidade do material / Thiago Neme/Gazeta de S.Paulo

Segundo um estudo de 2023 realizado pelo portal CupomVálido, com dados da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) e do portal britânico Compare The Market, o asfalto do Brasil é avaliado como o segundo pior do mundo, ficando atrás apenas da Rússia.

Além de ter o pior asfalto, o País também ocupa a segunda posição entre os piores países para se dirigir, levando em conta a mortalidade no trânsito, congestionamento e custos de manutenção dos veículos.

Falta de manutenção

A qualidade do asfalto não está relacionada a má qualidade do material, mas sim com o desgaste e a falta de manutenção. Diego Ciufici, superintendente da Associação Brasileira das Empresas Distribuidoras de Asfaltos (Abeda), ao Jornal da USP, apontou alguns motivos para isso:

  • O asfalto brasileiro tem uma alta demanda, 75% da produção nacional é escoada por vias rodoviárias, o que é uma particularidade do Brasil;
  • A saturação da malha não recebe investimentos suficientes para manter a qualidade em comparação com a demanda;
  • Além disso, o asfalto é parte pequena entre os materiais usados na pavimentação. Segundo o superintendente, ele atua apenas como ligante. Assim, não há uma base sólida para as vias;

Os pesquisadores destacam que a solução para um asfalto melhor seriam políticas públicas que garantam o investimento em infraestrutura. Para Ciufici, isso é uma questão de planejamento e alocação de orçamento, bem como planos de execução, não apenas algo para “tapar-buraco”.

Acidentes nas rodovias

O custo anual estimado dos acidentes ocorridos em rodovias federais no Brasil chegou a R$ 12,19 bilhões em um ano. Esse montante é superior ao valor total efetivamente investido em rodovias no mesmo ano, R$ 5,76 bilhões.

A fatalidade, no geral, acomete majoritariamente homens (82,2%) e, predominantemente, acontece de sexta-feira a domingo.

 

*Texto sob supervisão de Diogo Mesquita

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

tráfico de drogas

Polícia Militar faz grande apreensão de drogas na zona sul de SP

Agentes apreenderam 524 porções de maconha, 253 pinos de cocaína, 213 pedras de crack, 34 porções de haxixe e um aparelho celular

Automotor

Conheça o Territory: SUV médio da Ford

Com apenas nove meses no mercado, o modelo novo do Territory já tornou-se mais fácil de encontrar nas ruas brasileiras

©2021 Gazeta de São Paulo. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software

Newsletter