Publicidade

X

Entretenimento

Cade aprova relatório final, e fusão da Disney com a Fox é finalizada no Brasil após três anos

Com isso, no ano que vem, a marca Fox Sports estará disponível para qualquer outra empresa que desejar investir no mercado brasileiro

Folhapress - GABRIEL VAQUER

Publicado em 10/11/2023 às 20:23

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

Publicidade

No último dia 31 de outubro, o plenário do Cade aprovou o relatório e arquivou todo o processo de fusão definitivamente, concluindo os trâmites legais / Walt Disney/Reprodução

O Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) e a AGU (Advocacia Geral da União) aprovaram relatório que concluiu que a Disney cumpriu o acordo para aprovação da fusão com a Fox no Brasil, iniciada em 2020.

Faça parte do grupo da Gazeta no WhatsApp e Telegram.
Mantenha-se bem informado.

Com isso, após três anos e meio, todo o trâmite da fusão entre Disney e Fox foi concluído em nosso país. A reportagem teve acesso aos documentos de aprovação do caso.

O relatório de monitoramento do chamado ACC (Acordo em Controle de Concentrações) foi feito pela empresa ING, órgão independente designado pelo Cade com base em documentos sigilosos da Disney, que foi obrigada a dar acesso total a eles.

A ING fez o monitoramento da Disney até o último mês de julho. No relatório, a ING afirma que a Disney manteve o antigo Fox Sports com eventos ao vivo relevantes com minutagem semelhante a ESPN no período em que o Cade obrigou o uso do canal principal esportivo da Fox na TV por assinatura, entre 2020 e 2022.

Além disso, a ING afirma que a Disney também mostrou todos os jogos da Libertadores da América no Fox Sports até 2021, como determinava os termos da fusão. Apenas em 2022 o principal torneio de clubes de futebol do continente foi para os canais ESPN.

Por fim, a Disney relatou que tinha planos de usar a marca Fox Sports na TV e nas redes sociais até o fim de 2023. Em 2024, a multinacional devolve a marca para os seus antigos donos, como já foi informado pela Folha de S.Paulo anteriormente.

Para a ING, os cortes de gastos e demissões de pessoal feitas pela Disney em 2020 se justificaram pelo prejuízo financeiro que o Fox Sports deu pelo menos desde 2017, segundo balanços apresentados. O Cade e a AGU concordaram com os argumentos.

No último dia 31 de outubro, o plenário do Cade aprovou o relatório e arquivou todo o processo de fusão definitivamente, concluindo os trâmites legais.

Com isso, no ano que vem, a marca Fox Sports estará disponível para qualquer outra empresa que desejar investir no mercado brasileiro, sem maiores impedimentos.

Apoie a Gazeta de S. Paulo
A sua ajuda é fundamental para nós da Gazeta de S. Paulo. Por meio do seu apoio conseguiremos elaborar mais reportagens investigativas e produzir matérias especiais mais aprofundadas.

O jornalismo independente e investigativo é o alicerce de uma sociedade mais justa. Nós da Gazeta de S. Paulo temos esse compromisso com você, leitor, mantendo nossas notícias e plataformas acessíveis a todos de forma gratuita. Acreditamos que todo cidadão tem o direito a informações verdadeiras para se manter atualizado no mundo em que vivemos.

Para a Gazeta de S. Paulo continuar esse trabalho vital, contamos com a generosidade daqueles que têm a capacidade de contribuir. Se você puder, ajude-nos com uma doação mensal ou única, a partir de apenas R$ 5. Leva menos de um minuto para você mostrar o seu apoio.

Obrigado por fazer parte do nosso compromisso com o jornalismo verdadeiro.

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

CRIMINALIDADE

Polícia Civil fecha empresa que aplicava golpes financeiros no centro de SP

Golpe era através de aplicativos de mensagens; 23 pessoas foram apreendidas na operação

AMARELINHA

Dorival chama são-paulinos e palmeirenses na primeira convocação

Dorival Jr. fez a sua primeira convocação para a seleção brasileira nesta sexta; veja lista

©2021 Gazeta de São Paulo. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software

Newsletter