X

Política

Do Val procura psiquiatra, que dá laudo de apto após fala de plano golpista

Senador procurou o médico após colegas parlamentares colocarem em xeque sua saúde mental e defenderem que ele se licenciasse do cargo

GABRIELA VINHAL - Folhapress

Publicado em 08/02/2023 às 11:32

Atualizado em 08/02/2023 às 11:37

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

Publicidade

Marcos do Val / Marcos Oliveira/Agência Senado

O senador Marcos do Val (Podemos-ES) divulgou nesta quarta-feira (8) um laudo assinado por psiquiatra atestando que ele está apto para continuar com o mandato parlamentar.
Ele fez uma consulta nesta terça-feira (7) com o médico do Senado Bruno Andrade Jess.

Do Val procurou o médico após colegas parlamentares colocarem em xeque sua saúde mental e defenderem que ele se licenciasse do cargo. O senador afirmou ao UOL que não se afastou do Senado e continua trabalhando "normalmente".

O parlamentar acusou o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) e o ex-deputado federal Daniel Silveira de terem supostamente organizado uma reunião e proposto que o senador gravasse uma conversa de Moraes que pudesse comprometê-lo.

Diferente versões 

Do Val é investigado pelos crimes de falso testemunho e denunciação caluniosa a pedido do ministro Alexandre de Moraes, do STF (Supremo Tribunal Federal).

A declaração sobre o suposto plano golpista foi feita em diferentes versões pelo senador. Segundo Moraes, foram apresentadas ao menos quatro histórias diferentes por do Val, "todas entre si antagônicas".

O senador acumula contradições em seus relatos sobre os seguintes pontos:
- O papel de Bolsonaro na trama;
- As conversas com o ministro do STF;
- As atitudes que tomou no caso;
- O local do encontro que teve com Bolsonaro e Silveira

Do Val baixou o tom das acusações contra Bolsonaro. Durante uma transmissão ao vivo com líderes do MBL (Movimento Brasil Livre), o senador capixaba disse ter uma "bomba" que seria revelada pela revista Veja no dia seguinte.

À GloboNews, do Val negou ter sido coagido por Bolsonaro e disse que usou "uma palavra que não deveria ter usado" ao fazer essa afirmação durante a live com o MBL.

Senador citou conversa com Moraes em diferentes datas. No relato à Veja, o senador afirmou que mandou mensagem a Moraes em 12 de dezembro, três dias após o suposto encontro com Bolsonaro e Silveira, e só reuniu-se pessoalmente com o ministro no dia 14, para contar como havia sido a reunião.

Posteriormente, do Val afirmou que se encontrou com Moraes antes da conversa com Bolsonaro. Já em entrevista coletiva, o senador disse que foi abordado por Silveira no dia 7 e convidado a encontrar Bolsonaro, mas só aceitou após o aval de Moraes.

Do Val mudou local da suposta reunião com Bolsonaro. Inicialmente, o senado afirmou que o encontro com o então presidente foi no Palácio da Alvorada, residência oficial.

Depois, porém, ele disse que a reunião com Bolsonaro e Silveira foi na Granja do Torto, a segunda residência oficial da Presidência.

Já em entrevista à Folha de S.Paulo, ele afirmou que estava em dúvida e que o encontro poderia ter ocorrido no Palácio do Jaburu, residência oficial da Vice-Presidência.

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Oportunidade em Guarulhos

Feira de empregos: prefeitura e institutos devem oferecer 200 vagas em evento

Para participar dos processos seletivos é necessário levar um documento de identificação original e o currículo atualizado

Colheita de café em SP

Colheita de café no maior cafezal urbano do mundo reúne famílias em São Paulo

Evento marcou a abertura oficial da safra do café, que prossegue até a primavera, distribuindo sabores, aromas, colorido e riquezas por todo o Estado   

©2021 Gazeta de São Paulo. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software

Newsletter