X

VEJA A FALA

Lula quer ricos pagando mais imposto de renda e isenção para até 5 mil de salário

O presidente afirmou que pretende 'brigar' para mudar a lógica de arrecadação na Receita Federal a fim de desafogar os mais pobres

Joe Silva

Publicado em 18/01/2023 às 16:24

Atualizado em 18/01/2023 às 16:52

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

Publicidade

Lula fala às centrais sindicais nesta quarta e explica sua visão sobre o futuro do imposto de renda / Marcelo Camargo/Agência Brasil

O presidente Luis Inácio Lula da Silva (PT) afirmou nesta quarta-feira (18) que quer alterar a lógica da cobrança de imposto de renda no Brasil, fazendo com que mais ricos paguem mais ao leão e isentando deste tributo quem ganha até R$ 5 mil por mês.

"Meus companheiros sabem que tenho briga com economistas do PT. Vocês sabem que o pessoal fala assim 'Lula, se a gente fizer isenção até R$ 5.000, são 60% de arrecadação do país, de pessoas que ganham até R$ 6.000'. Ora, então vamos mudar a lógica. Diminuir para o pobre e aumentar para o rico", afirmou Lula a um grupo de sindicalistas.

A declaração do petista vem alinhada com o posicionamento de Fernando Haddad, ministro da Fazenda. Nesta semana, o líder da pasta também revelou que pretende trabalhar em mudanças no IR a partir do segundo semestre deste ano. Antes disso, o foco será uma revisão dos impostos ligados a consumo.

Mudança requer "briga"

Lula explicou ainda que prevê uma briga no governo para aprovar as mudanças que pretende fazer no imposto de renda, segundo informações da Folha. Além disso, o chefe do Executivo afirmou que será necessária uma pressão inclusive no Governo Federal.

Na semana passada, o presidente já havia afirmado que quer que pessoas ricas paguem mais impostos. Reforçando o discurso, ele ressaltou ser preciso colocar o pobre no orçamento e o rico no imposto de renda.

Aumento 'extra' do salário mínimo não deve acontecer

O salário mínimo, que neste ano é de R$ 1.302, deve ser mantido neste patamar. Isso porque, apensar de Lula ter assinado nesta quarta a criação de um grupo de trabalho para elaborar um projeto de lei para valorização do salário mínimo, o aumento deste valor geraria um custo extra de até R$ 7,7 bilhões. 

A inclusão deste custo extra no orçamento só seria possível mediante cortes em outras áreas, algo que não está nos planos do governo Lula, segundo o mesmo jornal. Assim, o salário mínimo atual deve ser mantido.

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Trânsito nas Rodovias

Lentidão nas rodovias Anchieta e Imigrantes: confira os tempos de viagem

Congestionamentos marcam as rodovias do SAI nesta terça-feira; interligações estão liberadas

Transporte Público

Metrô apresenta problemas e dificulta manhã do paulistano

Problema teria ocorrido por volta das 4h40 na estação Tiradentes linha 1-Azul; passageiros recorreram às linhas de ônibus para chegar ao destino

©2021 Gazeta de São Paulo. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software

Newsletter